Opinião

Participação societária

A sociedade limitada cujo capital inicial é constituído por cotas correspondentes aos sócios de acordo com a sua participação financeira e as suas responsabilidades para com as obrigações da empresa estão determinadas de acordo com o valor das cotas.

A sociedade limitada cujo capital inicial é constituído por cotas correspondentes aos sócios de acordo com a sua participação financeira e as suas responsabilidades para com as obrigações da empresa estão determinadas de acordo com o valor das cotas. Logo, no caso de inadimplência, as dívidas da empresa deverão ser pagas com bens dos sócios até ao limite da participação do capital da empresa de cada sócio.
A Sociedade Anónima, também conhecida por sociedade por acções, é uma pessoa jurídica em que o capital inicial é constituído por acções.
A Sociedade Anónima é separada e independente de seus proprietários e administradores por isso, o direito de propriedade pode ser transferido de um accionista para o outro, por meio da venda das acções. É uma empresa de responsabilidade limitada, onde a responsabilidade dos sócios ou accionistas está limitada ao preço de emissão das acções subscritas ou adquiridas.
As Sociedades Anónimas podem ser de capital aberto ou capital fechado conforme especificado no seu estatuto no momento da sua constituição.
A grande vantagem das sociedades de capital aberta é a facilidade de acesso a elevadas quantias de recursos financeiros com o objectivo de investir nas actividades operacionais, seja pela emissão de novas acções, ou pela emissão do título de dívida.
Por último, ainda é apresentado como opção, a sociedade em comandada por acções. As características destas sociedades são aquelas que têm capital social dividido em acções, administradas pelas normas relativas à sociedade anónima dilatada das seguintes condições:
Somente o accionista poderá ocupar cargos de direcção na sociedade, a existência de um director servirá apenas para responder de forma subsidiária e ilimitadamente pelas obrigações da sociedade, caso haja mais de um director, os mesmos poderão responder solidariamente depois de esgotados os bens sociais.
Estes mesmos directores, deverão ser nomeados no momento da constituição da sociedade por um prazo indeterminado.
A alteração do objecto substancial da sociedade poderá ser alterado pela Assembleia Geral de Accionistas apenas
com o consentimento dos directores.
Após a escolha do tipo de sociedade a desenvolver para o seu negócio, avizinha-se o momento de administrar
a empresa de forma rentável.
Administrar uma empresa, independentemente do tamanho e actividade, implica o uso de alguma destreza. Inúmeros são as precisões e subtilezas que poderão interferir no sucesso ou não da empresa no meio em que está inserida. As empresas devem cultivar ambientes salutares para que a sua actividade operacional seja desenvolvida com alguma eficácia.
O acto de administrar uma empresa implica planear as suas acções, organizar actividades, coordenar ou controlar a totalidade dos recursos, distribuindo-os de forma racional em determinado momento para os diferentes sectores da empresa. É ter uma relação com os seus clientes e atender as suas necessidades de maneira que consiga alcançar resultados financeiros,
logísticos e operacionais auspiciosos.
Para administrar uma empresa, torna-se indispensável elaborar um planeamento estratégico para qualquer negócio ter sucesso.
O que é realmente importante saber para uma boa administração financeira? Esta pergunta é comum entre os empresários, em especial aos pequenos e microempresários, mas é de difícil elaboração. Pode-se dizer que tudo na administração financeira é importante, mas se fosse necessário eleger apenas um item, mesmo assim, citaríamos duas estratégias, que ao vosso ver são de extrema importância para o sucesso de uma empresa e dos seus comandantes.
O principal papel do administrador financeiro é o relativo a tesouraria da empresa, ou seja, cuidar efectivamente do dinheiro, a sua entrada e saída, e logicamente preservar o retorno exigido pelos accionistas. Neste sentido, é necessário buscar um pleno entendimento da administração de caixa da empresa e o custo ao qual este fluxo será submetido. A administração de caixa está intimamente ligada ao ciclo operacional da empresa e o custo de capital ao financiamento deste ciclo.
A administração do caixa compreende uma tarefa de suma importância para a empresa. A grande maioria dos fracassos das empresas tem fortalecido a convicção de que a principal razão da chamada mortalidade precoce das pequenas e médias empresas é a falta de habilidade regencial dos seus administradores.
Estas empresas nascem normalmente através de ideia de negócios proposta por empresários que conhecem profundamente a função técnica a ser exercida.
Porém, não se preocupam com a função administrativa financeira da empresa. Esses empresários acreditam que produzindo bens de alta qualidade e procura estão dispensados a dedicar tempo a boa governação administrativa relegando esta tarefa a funcionários sem algum preparo, ao invés de contratarem apto para o fazer em seu lugar. Empresa alguma poderá crescer ou até mesmo sobreviver sem um gerenciamento adequado na área administrativa.