Opinião

Joe Biden acordou

Os resultados da Super Terça-feira, uma das etapas mais importantes das primárias do Partido Democrata que escolherão o desafiante do presidente Donald Trump nas eleições de Novembro, revelaram um triunfo surpreendente do ex-vice-presidente Joe Biden sobre o seu mais próximo concorrente, o senador Bernie Sanders, de Vermont.

Os resultados da Super Terça-feira, uma das etapas mais importantes das primárias do Partido Democrata que escolherão o desafiante do presidente Donald Trump nas eleições de Novembro, revelaram um triunfo surpreendente do ex-vice-presidente Joe Biden sobre o seu mais próximo concorrente, o senador Bernie Sanders, de Vermont.
Após uma vitória clara nas primárias da Carolina do Sul, na passada semana, o moderado Biden, preferido pela cúpula partidária, ganhou fôlego para enfrentar o socialista-democrata Sanders na maratona da Super Terça, 3 de Março, quando eleitores democratas de 14 estados, entre eles Califórnia e Texas, votaram nos candidatos de sua preferência.
Como esperado, Biden conquistou a ampla maioria dos votos dos eleitores negros e latinos na Carolina do Sul, imprimindo, a partir daí, um novo rumo à sua campanha. Conseguiu repetir o feito nos demais estados sulistas, também com grande presença de negros, que foram a voto na Super Terça, como Alabama, Arkansas, Carolina do Norte, Oklahoma, Tennessee e Virgínia.
Pelos resultados ainda não totalmente finalizados, Biden saiu vencedor em dez estados – além do Sul, venceu também no Texas, Massachussetts,Minnesotta e Maine. Já Sanders, venceu em quatro estados: os pequenos Vermont e Utah, além de Colorado e Califórnia.
Nos três dias que separaram as primárias da Carolina do Sul da Super TerçaBiden acabou beneficiado pelas desistências no campo moderado do seu partido.
O primeiro a abandonar a corrida foi o bilionário Tom Steyer, da Califórnia, que não conseguiu obter nenhum delegado. Em seguida, desistiram Pete Buttigieg, ex-prefeito de South Bend (Indiana), que havia vencido em Iowa, e a senadora Amy Klobuchar, de Minnesotta.
No debate que antecedeu as primárias da Carolina do Sul, Buttigieg e Klobuchar miraram as suas críticas em direcção a Sanders. Após oficializarem a desistência, os dois políticos deram apoio à Biden.
“A única maneira de vencer Trump é através de uma política que reflicta a decência do povo americano. É o que procuramos praticar na minha campanha –e foi o que Joe Biden praticou em toda a sua vida”, afirmou Buttigieg.
A disputa entre os democratas restringe-se agora aos nomes de Sanders e Biden, ainda quepermaneçam na arena a senadora Elizabeth Warren, do Massachussetts, e a representante Tulsi Gabbard, do Havaí. Com o fraco desempenho na Super Terça, o ex-presidente da câmara de Nova Iorque, Michael Bloomberg, jogou a toalha no dia seguinte, após ter gasto centenas de milhões de dólares na campanha.
Bloombergsomou-se a Buttigieg e a Klobuchar no apoio a Biden, reagrupando os moderados em torno do antigo vice-presidente de Barack Obama.
As primárias deste ano, até agora, guardam um grau de acirramento que lembram as disputas entre Obama e Hillary Clinton, em 2008, e entre a ex-primeira-dama e Sanders, em 2016.
Os democratas costumam apresentar para a disputa presidencial candidatos de perfil moderado, que buscam o centro como forma de atrair eleitores indecisos. Algo semelhante ocorre com o Partido Republicano, ao qual está filiado o actual ocupante da Casa Branca.
Entre os republicanos, nos últimos 60 anos, ocorreram apenas duas excepções a essa regra não escrita,com resultados diversos. Em 1964, a candidatura do senador ultra-direitista Barry Goldwater, do Arizona, foi massacrada pelo então presidente democrata Lyndon Johnson.
Já em 2016, Trump deixou pelo caminho vários candidatos moderados do seu partido durante as primárias e, apesar de ter perdido para Hillary Clinton no voto popular, conquistou a maioria do colégio eleitoral que, em última instância, elege o presidente.
Já entre os democratas uma candidatura mais distante do centro teve lugar apenas em 1972, e não foi bem-sucedida. Naquele ano, o senador George McGovern, de Dakota do Sul,conhecido opositor da Guerra do Vietname, foi cilindrado pelo então presidente Richard Nixon, republicano.
Há entre os democratas de fora da cúpula aqueles que acreditam que a estratégia arriscada de apresentar um candidato de esquerda pode mobilizar as bases do partido. Essa teoria, entretanto, não conta com o endosso dos líderes partidários e de figuras históricas, comoo ex-presidente Bill Clinton, que temem um desastre eleitoral.
Trump, por sua vez, já demonstrou que, para o sucesso de sua estratégia política, mais fácil seria enfrentar um candidato com um discurso totalmente oposto ao seu. No caso, a sua preferência recai mais sobre “Crazy (Louco) Bernie”do quesobre “Sleepy”(Sonolento) Joe, como Trump, em tom jocoso, se refere aos adversários democratas.
A disputa democrata tem data para acabar: 13 a 16 de Julho, na convenção de Milwaukee, em Wisconsin. O vencedor terá que garantir o voto de 1.991 delegados para obter a indicação e depois tentar unir o partido para enfrentar Trump.

* Em Tucson, Arizona (EUA)