Mundo

Suecos recusam pagamento em cash

Os cartazes com dizeres “não aceitamos dinheiro” estão a se tornar cada vez mais comuns nas lojas

O ritmo de desaparecimento do dinheiro vivo preocupa as autoridades da Suécia. Uma ampla análise da legislação do banco central, em andamento, avalia essa situação em particular e um relatório preliminar é esperado para o verão (Hemisfério Norte).
“Se esse desenvolvimento com o desaparecimento do dinheiro vivo acontecer rapidamente demais, pode ser difícil manter a infra-estrutura” de operação do dinheiro, disse Mats Dillen, chefe da análise parlamentar. Ele preferiu não informar mais detalhes sobre os tipos de propostas que poderiam
ser incluídas no relatório.
A Suécia é considerada por muitos a sociedade com menos dinheiro vivo em circulação do planeta. A maioria das agências bancárias do país deixou de operar com dinheiro; muitas lojas, museus e restaurantes actualmente só aceitam plásticos ou pagamentos móveis. Mas há uma desvantagem, já que muitas pessoas, em particular idosas, não têm acesso à sociedade digital.
“Pode-se entrar numa espiral negativa que pode ameaçar a infra-estrutura do dinheiro vivo”, disse Dillen. “É esse tipo de questão que estamos a
analisar mais de perto.”
No ano passado, o montante de dinheiro em circulação atingiu o menor nível desde 1990 e ficou mais de 40 por cento
abaixo do pico de 2007.
Uma pesquisa da Insight Intelligence apontou que apenas 25 por cento dos suecos efectuaram pagamentos em dinheiro vivo pelo menos uma vez
por semana em 2017.