Mundo

São Tomé e Príncipe tem condições para 1º furo de prospecção petrolífera

O grupo português Galp Energia deve efectuar o primeiro furo de prospecção petrolífera no Bloco 6, da Zona Económica Exclusiva de São Tomé e Príncipe, no final do ano ou início de 2021, disse em São Tomé o director de Produção e Exportação do grupo, Thore Kristiansen.

O grupo português Galp Energia deve efectuar o primeiro furo de prospecção petrolífera no Bloco 6, da Zona Económica Exclusiva de São Tomé e Príncipe, no final do ano ou início de 2021, disse em São Tomé o director de Produção e Exportação do grupo, Thore Kristiansen.
No final de uma audiência com o primeiro-ministro são-tomense, Jorge Bom Jesus, o representante da Galp Energia disse ainda, que o grupo tem estado a processar um conjunto de dados ao longo dos últimos dois anos, que permitem concluir “haver agora a possibilidade de efectuar o primeiro furo de prospecção”.
O director do grupo português esteve na capital de São Tomé e Príncipe para conversações com as autoridades, tendo garantido que as negociações para a conclusão desse processo vão no bom caminho e que as relações de cooperação com os diferentes ministérios e com a Agência Nacional do Petróleo são “muito satisfatórias.”
Em Fevereiro de 2017, o director da Agência Nacional de Petróleo disse à agência noticiosa Macauhub ter a petrolífera norte-americana, Kosmos Energy e a portuguesa Galp Energia iniciado pesquisas sísmicas, visando a descoberta de petróleo em quatro blocos da Zona Económica Exclusiva
de São Tomé e Príncipe.