Mundo

Portugal fecha ano de 2017 com segundo maior défice do bloco europeu e a terceira dívida mais elevada

A dívida pública portuguesa até desceu em 2017, situando-se abaixo de 125% do PIB, mas continua a ser a terceira mais elevada entre os países da União Europeia (ver mapa em cima).

A dívida pública portuguesa até desceu em 2017, situando-se abaixo de 125% do PIB, mas continua a ser a terceira mais elevada entre os países da União Europeia (ver mapa em cima).
Já o défice orçamental, se for excluído o efeito da recapitalização da Caixa Geral de Depósitos, situou-se em 0,9% do PIB, o que representa o nível mais baixo da história democrática portuguesa. Contudo, o défice total foi de 3% do PIB, o que representa o segundo valor mais elevado
entre os países da UE.
Estes dados foram publicados esta segunda-feira, 22 de Outubro, pelo Eurostat, que procedeu à revisão dos valores preliminares revelados em Abril.
A maior queda do rácio da dívida pública foi registada pelo Chipre (-9,4 p.p.), passando de 105,5% para os 96,1%. Esta foi de longe a maior redução, para a qual contribuiu de forma determinante o excedente orçamental de 1,8% em 2017.
Seguem-se Malta (-5,4 p.p.), Holanda (-4,9 p.p.), a Áustria (-4,7 p.p.) e a Eslovénia (-4,6 p.p.). Só depois destes países é que surge Portugal. O rácio da dívida pública portuguesa - que continua a ser a terceira maior da Europa - baixou de 129,2% em 2016 para 124,8% em 2017, ano em que a economia cresceu ao maior ritmo dos últimos 17 anos.
Esta marca foi conseguida apesar do défice ter subido de 2% para 3%, se incluída a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos - decisão tomada pelo Eurostat que utiliza os 3% como número oficial. Excluído desse efeito, o défice orçamental foi de 0,9%, ficando abaixo da média de 1% registada tanto na Zona Euro como
na União Europeia.