Mundo

OGE de Cabo Verde gera expectativas

O Parlamento cabo-verdiano começou a debater esta semana o Orçamento Geral de Estado (OGE) para 2018, com o Governo e o partido que o sustenta, e o PAICG, na oposição com posições contrárias.

O Parlamento cabo-verdiano começou a debater esta semana o Orçamento Geral de Estado (OGE) para 2018, com o Governo e o partido que o sustenta, e o PAICG, na oposição com posições contrárias.
Ao falar na Comissão Especializada de Finanças da Assembleia Nacional, o ministro das Finanças disse que o OGE está voltado para apoiar o sector privado e garante assessoria às empresas para acederem a financiamentos externos.
Olavo Correia avançou que o Executivo está a negociar com o Banco Mundial uma linha de crédito de 11 milhões de dólares, verba praticamente garantida e que deverá estar disponível em Abril. O PAICV, na oposição, não acredita muito nos efeitos práticos das medidas anunciadas, nomeadamente 550 milhões de dólares do Afreximbank, que exige mínimos extremamente elevados em termos de capacidade monetária.
Entretanto, o governo prevê um aumento do salário mínimo nacional de 11 para 13 mil,
a vigorar a partir de 2018.
A proposta foi avançada pelo primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, na apresentação do Orçamento do Estado para 2018, discutida esta semana na Assembleia Nacional.
O chefe do Governo adiantou que o orçamento de 2018 vai aumentar a massa salarial na Administração Pública na ordem dos sete por cento.