Mundo

Moçambique deixa de importar sementes para produção agrícola

Moçambique vai deixar de importar sementes básicas para a agricultura a partir da campanha 2017/2018, que arrancou há um mês, e apostar na produção nacional, noticia a imprensa moçambicana.

Moçambique vai deixar de importar sementes básicas para a agricultura a partir da campanha 2017/2018, que arrancou há um mês, e apostar na produção nacional, noticia a imprensa moçambicana.
Segundo David Mariota, chefe do Departamento da Unidade de Semente Básica do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM), a medida visa garantir que mais produtores tenham acesso a sementes e evitar custos de importação.
Para responder às necessidades, as autoridades moçambicanas vão dar condições a 42 empresas para a produção de sementes certificadas que vão abastecer os pequenos produtores agrícolas do país.
Espera-se que na actual campanha agrícola as empresas especializadas forneçam cerca de 65 toneladas de sementes, num processo que vai dar prioridade aos cereais e leguminosas.
O IIAM prevê ainda disponibilizar 12 milhões de estacas de mandioca, duas mil ramas de batata-doce e quantidades por definir de sementes de hortícolas.
A estratégia para abastecer os pequenos produtores conta com o apoio de vários parceiros, entre os quais a agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid) e o Banco Mundial.
No total, de acordo com dados oficiais, Moçambique tem quatro milhões de produtores registados e a maioria está nas províncias da Zambézia e Nampula, centro e norte, respectivamente.
Entretanto, o país vai cooperar com o Vietname nos domínios da pesquisa, produção e comercialização de sementes agrárias, principalmente de arroz.
Representantes da fábrica de produção de sementes de arroz “Thai Binh Seed Corporation”, localizada na província vietnamita de Thai Binh, foram recentemente convidados a visitar Moçambique.
No país, a empresa trabalharia com o IIAM e, posteriormente, identificaria parceiros nacionais que já trabalham na produção de sementes. “A nossa empresa está disposta e pronta para trabalhar com Moçambique na pesquisa, produção e comercialização da semente”, disse o presidente do Conselho de Administração (PCA) da Thai Binh Seed Corporation, Tran Manh Bao.