Mundo

Fujifilm reabre negociações pela Xerox

Fusão entre as empresas está avaliada em mais de 6,1 mil milhões de dólares norte-americana

A Fujifilm Holdings e Xerox reabriram as negociações da sua fusão de 6,1 mil milhões e estão a discutir um preço mais elevado depois que a empresa norte-americana, sob pressão dos seus maiores investidores, pediu para renegociar os termos. Uma porta-voz da Fujifilm disse que as companhias reabriram as negociações sobre os termos e condições do acordo.
A Xerox confirmou as negociações com a Fujifilm sobre um potencial aumento da compensação a ser recebida pelos seus accionistas. A Reuters informou no fim do mês passado, que as duas empresas reabriram as negociações sobre o acordo que o conselho da Fujifilm aprovou no início deste ano. “É verdade que recebemos uma solicitação de renegociação da Xerox”, disse a Fujifilm, uma empresa de câmeras e fotocopiadoras, em comunicado.
A fusão proposta sofre a oposição de dois dos principais accionistas da Xerox, Carl Icahn e Darwin Deason, que disseram que o acordo subestima dramaticamente a Xerox. Icahn e Deason, proprietários de 15 por cento da fabricante de impressoras e copiadoras dos Estados Unidos, consideram a estrutura do acordo
“tortuosa e complicada”.
Uma fonte próxima à situação disse à Reuters recentementeque as empresas estão a discutir o aumento da contrapartida financeira para os accionistas da Xerox.
Buscando uma base mais firme em meio a menor demanda por impressão de escritório, a Xerox e a Fujifilm fecharam um acordo no qual a joint venture existente de cinco décadas, a FujiXerox, compraria de volta a participação de 75 por cento da
Fujifilm no empreendimento.
A Fujifilm compraria então 50,1 das novas acções da Xerox. Icahn e Deason sugeriram a remoção da administração actual da Xerox e a monetização da propriedade intelectual da empresa em impressão digital e outros negócios, entre outras soluções.