Mundo

Défice aumenta em Cabo Verde

Cabo Verde registou no ano de 2017, o aumento do défice na balança comercial na ordem dos 19,7 por cento, conforme as estatísticas do comércio externo, divulgadas hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Cabo Verde registou no ano de 2017, o aumento do défice na balança comercial na ordem dos 19,7 por cento, conforme as estatísticas do comércio externo, divulgadas hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).
De acordo com os dados provisórios do comércio externo apurados pelo INE em 2017, tanto as importações como as reexportações tiveram uma evolução positiva com aumentos de 16,3 e 74,8 por cento respectivamente.
Por outro lado, as exportações evoluíram negativamente (-18,1%), em relação a período homólogo, agravando o défice da balança comercial que aumentou 19,7 por cento, tendo a taxa de cobertura diminuído
em 29,6 pontos percentuais.
Segundo a mesma fonte(INE), as exportações de Cabo Verde totalizaram 4.893 mil contos, com um decréscimo de 1.080 mil contos face ao ano anterior, enquanto as importações , no período em análise, registaram acréscimo de 10.822
mil contos no mesmo período.
No que refere ao comércio externo por zonas económicas, os dados mostram que a Europa continua a ser o principal cliente de Cabo Verde, absorvendo mais de 96 por cento do total das exportações cabo-verdianas. As exportações de Cabo Verde para outros continentes foram de montantes pouco expressivos,
conforme o INE indica.
Relativamente aos países com os quais Cabo Verde mantém relações comerciais, constata-se que a Espanha lidera o ranking dos principais clientes do arquipélago na zona económica europeia, representando, no ano 2017, 70,8 por
cento do total das exportações.

Produtos mais exportados
Entre os produtos mais exportados por Cabo Verde, em 2017, os preparados e conservas de peixes ocupam o primeiro lugar, representando 54,5 os peixes, crustáceos e moluscos, mesmo tendo uma queda de (-18,3 ponto percentuais), posicionaram-se em segundo lugar, com 19,9 por cento do total e os vestuários ocupam
o terceiro lugar, com (13,0%).
O continente europeu continua a ser o principal fornecedor de Cabo Verde, com 78,8 por cento do montante total, seguido da Ásia/Oceânia (10,0), América (5,4), África (4,0)
e o resto do mundo (1,8).