Mundo

Cabo Verde-UE assinam acordo

Cabo Verde vai passar a ter observadores técnicos e científicos a bordo das 69 embarcações europeias autorizadas a pescar nos mares cabo-verdianos, no âmbito do novo acordo de pesca firmado recentemente entre o arquipélago e a União Europeia (UE) segundo fonte oficial na cidade da Praia.

Cabo Verde vai passar a ter observadores técnicos e científicos a bordo das 69 embarcações europeias autorizadas a pescar nos mares cabo-verdianos, no âmbito do novo acordo de pesca firmado recentemente entre o arquipélago e a União Europeia (UE) segundo fonte oficial na cidade da Praia.
Em declarações à imprensa, após a apresentação pública do acordo na capital cabo-verdiana, o secretário de Estado Adjunto para Economia Marítima de Cabo Verde, Paulo Veiga, disse que a novidade contida no documento é “a criação de uma comissão científica e ambientalista para acompanhar as pescas e, em caso de dúvida, analisar o stock e se há sobrepesca ou não, e fazer as análises e ajustar o acordo nesse sentido”.
O acordo de pesca entre Cabo Verde e União Europeia tem sido bastante criticado pela comunidade ambientalista cabo-verdiana, que tem pedido presença de observadores a bordo e também uma fiscalização mais efectiva dos barcos europeus.
Paulo Veiga adiantou que, no âmbito do novo acordo, haverá pelo menos um observador cabo-verdiano a bordo e em casos especiais também observadores científicos.
“A intenção do Governo é propor que (a comissão) seja criada logo de início, que faça acompanhamento e não tenhamos dúvidas sobre todas as reclamações que têm havido e precisamos ter bases científicas para decidir em consonância”, salientou Paulo Veiga.
No que se refere a uma das outras reivindicações da comunidade ambientalista cabo-verdiana para que se ponha fim à pesca desenfreada de tubarões, num acordo de pesca que abrange apenas o atum e afins, ele esclareceu que há uma percentagem de tubarao capturável e que é “quase impossível” pescar o atum sem apanhar tubarões, que ficam por vezes presos no mesmo isco.