Mundo

Benin acolhe reunião de peritos da ZCLCA

Uma reunião de peritos da Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA), realizar-se-á a 25 de Junho em Cotonou, sob a égide da Comissão Económica das Nações Unidas para a África (CEA), soube-se junto dos organizadores do evento.

Uma reunião de peritos da Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA), realizar-se-á a 25 de Junho em Cotonou, sob a égide da Comissão Económica das Nações Unidas para a África (CEA), soube-se junto dos organizadores do evento.
Sob o lema “O impacto do Potencial Alargamento da CEDEAO (Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental) e da Zona de Livre Comércio Continental Africana”, a reunião visa aprofundar a reflexão sobre as potenciais implicações económicas e socioeconómicas do alargamento da CEDEAO, decorrente da adesão de Marrocos, Tunísia e da Mauritânia.
Trata-se especificamente de examinar essencialmente o impacto económico, nomeadamente em termos de fluxos comerciais, de receitas públicas sobre o bem-estar da população, e identificar e discutir sobre os principais desafios e impactos para a CEDEAO e os países candidatos à adesão.
Os peritos examinarão igualmente as potenciais implicações deste alargamento da CEDEAO no quadro da implementação da ZCLCA para enriquecer os resultados preliminares do projecto de relatório proposto pela CEA.
Os mesmos formularão recomendações para um alargamento socioeconomicamente vantajoso para as diferentes partes e, sobretudo, para a efectividade da ZCLCA.
Os 44 países africanos assinaram o acordo para a criação da Zona de Livre Comércio Continental, que não tem o apoio da Nigéria e da África do Sul. A União Africana acredita que o comércio intra-africano poderá
aumentar em 60 por cento.
O acordo foi assinado a 21 de Março último, na cimeira extraordinária da União Africana (UA), abrirá o mercado a 1,2 mil milhões de pessoas com a possibilidade de gerar grande riqueza para o continente, acelerando o investimento, diversificando a economia e aumentando o comércio.