Mundo

África do Sul enfrenta desafios

O novo ministro das Finanças Malusi Gigaba prevê mudar rumo da economia numa altura em que a moeda sul-africana perdeu o valor nos últimos tempos.

O novo ministro das Finanças da África do Sul disse recentemente que está “ciente do clima de forte desacordo e de suspeições mútuas” e prometeu “transformar radicalmente” a economia para ajudar as pessoas marginalizadas.
Malusi Gigaba falou à imprensa no dia seguinte ao Presidente, Jacob Zuma, ter despedido o respeitado ex-ministro das Finanças Pravin Gordhan e ter-se levantado um coro de protestos não só na oposição, mas também dentro do partido no poder, o Congresso Nacional Africano.
A moeda sul-africana perdeu valor nos últimos tempos devido às preocupações com a corrupção nos mais altos níveis do Governo, e muitos sul-africanos estão preocupados com a possibilidade de o ‘rating’ descer para o nível de não investimento, ou ‘junk’ (‘lixo’, como é geralmente conhecido).
O novo ministro das Finanças prometeu tentar manter o nível de qualidade do crédito soberano e uma “transformação económica radical”, o que significa mais poder para a maioria negra e mais divisão da riqueza, que tem estado concentrada num pequeno número de pessoas, disse.
Gigaba também afirmou que estava ciente da falta de confiança e acrescentou que não iria “trair o povo” ao permitir que interesses especiais prejudiquem o bem público. A demissão do antigo ministro, que era encarado como um baluarte contra a corrupção e o enriquecimento ilícito, é outro golpe para a economia sul-africana, a segunda maior do continente, que cresceu apenas 0,5 por cento em 2016 e enfrenta uma taxa de desemprego que ronda os 27 por cento. A agência de notação financeira Fitch prevê que as mudanças no Executivo sul-africano vão agravar as tensões no partido no poder e podem prejudicar as finanças públicas. Também a população teme que as mudanças políticas tenham consequências económicas. A demissão de Gordhan é um novo golpe na economia sul-africana, cuja taxa de desemprego no país ronda os 27 por cento. O novo ministro das Finanças é considerado próximo do chefe de Estado: um facto que contribui para alimentar a controvérsia em torno da
demissão de Parvin Gordhan.
Contudo, o partido dos Combatentes pela Liberdade Económica (EFF), da oposição, critica o “estilo de vida inexplicável” de Malusi Gigaba e a má gestão da empresa estatal South African Airlines (SAA), quando era ministro das Empresas Públicas.