Mercados

Wall Street fecha em alta nos dois feriados

Wall Street não abriu as portas na quarta e quinta-feira última, e hoje sexta, será apenas uma sessão a meio-gás pelo que a semana de negociação será muito curta devido aos dois feriados verificados no país. Esses feriados também coincidem com o Black Friday e o Cyber Monday, dias em que as empresas de retalho registam o maior consumo do ano, tanto nas lojas físicas como através da internet.

Wall Street não abriu as portas na quarta e quinta-feira última, e hoje sexta, será apenas uma sessão a meio-gás pelo que a semana de negociação será muito curta devido aos dois feriados verificados no país. Esses feriados também coincidem com o Black Friday e o Cyber Monday, dias em que as empresas de retalho registam o maior consumo do ano, tanto nas lojas físicas como através da internet.
As subidas moderadas no Wall Street, numa semana mais curta do que o habitual nos Estados Unidos foi por causa do feriado de ‘Thanksgiving’, verificado na quinta-feira última, 23 de Novembro.
O Dow Jones avançou 0,31 por cento para 23.430,33 pontos, enquanto o Nasdaq e o S&P 500 subiram 0,12 e 0,13, respectivamente, para 6.790,715 e 2.582,14 pontos.
No Dow, a Verizon foi o título que mais subiu, 1,72 por cento, depois segue-se a Cisco (+ 1,67) e a Home Depot (+ 1,62).
Enquanto isso, a Merck caiu quase 2 por cento e foi o título que mais desvalorizou, seguido pela Walt Disney (-0,67 por cento) e Coca-Cola (-0,55 por cento). No Nasdaq, destaca-se a queda de 2 por cento da Tesla Motors.
Os investidores mantêm expectativas para a reforma tributária, se forem aprovados os índices podem valorizar mais.
Depois que a Câmara dos Deputados ter aprovado o seu projecto de lei na semana passada, agora é o Senado que deve aprovar o seu próprio articulado (previsivelmente após o Dia de Acção de Graças).
“Se o Senado for bem sucedido, terá de se resolver as diferenças entre os projectos de lei da Câmara dos Deputados e do Senado”, dizem os economistas da Oxford Economics.
O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, disse esperar que o presidente Trump assine a nova legislação antes do Natal, embora os prazos sejam muito apertados porque a actividade do Congresso é bastante reduzida em Dezembro. O consenso dos analistas prevê que a reforma fiscal seja aprovada no I trimestre de 2018.
Terça-feira, o mercado esteve atento ao anúncio de que o grupo chinês de comércio electrónico Alibaba pagou 2.430 milhões de euros para adquirir uma participação de 36,16 por cento na principal cadeia de supermercados da China, Sun Art.
O petróleo caiu nos EUA 0,81por cento para 56,09 dólares e 0,85 por cento em Londres para 62,19 dólares.
No mercado de câmbio, o euro começa agora a inverter a queda do dia, e sobe 0,01 por cento para 1,1734 dólares.