Mercados

Técnicos básicos e médios em maioria nos petróleos

O Insttiuto Nacional de Petróleos (INP), localizado no Sumbe, província do Cuanza Sul, não vai ser transformado em Instituto Superior.

O Insttiuto Nacional de Petróleos (INP), localizado no Sumbe, província do Cuanza Sul, não vai ser transformado em Instituto Superior. Dessa garantia dada pelo ministro Diamantino Azevedo ficou também a mensagem de que no sector petrolífero, sobretudo, há mais necessidade de técnicos de nível básico e médio do que superior.
O ministro da tutela disse que para 15 técnicos básicos são precisos cinco (5) de nível médio e só um (1) com o superior, razão pela qual sem deixar de apostar na formação em níveis de licenciatura e doutoramento, o subsector dos petróleos continuará a sua aposta no aparecimento de técnicos formados no INP sem deixar o rigor e os critérios de qualificação e sofisticação em matérias formativas.
Por isso, segundo se disse, e no quadro do previsto no Plano Nacional de Formação de Quadros, “o sector de recursos minerais e petróleos não vai inverter a pirâmide, mantendo a sua aposta na capacitação dos quadros médios sem deixar de investir no surgimento, em breve, do Instituto Superior, já em construção numa área adjacente ao INP. Juntas, as instituições vão trocar sinergia e garantir maior interacção”.