Mercados

Líbia e Nigéria são as responsáveis pelo crescimento de 336.100 barris/dia que a organização apresentou em Maio

A produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) aumentou, em Maio, ao ritmo mais rápido desde Novembro de 2016.

De acordo com os dados revelados esta semana, a produção cresceu em 336.100 barris/dia, impulsionada pela Líbia e Nigéria, dois membros excluídos do acordo do cartel para reduzir a oferta, que entrou em vigor em Janeiro e que, recentemente, foi prolongado para até final deste ano.
Este crescimento da produção aconteceu, precisamente, no mês em que o grupo, juntamente com produtores fora do cartel, acordou prolongar os cortes até ao final do I trimestre de 2018 (sendo que o acordo inicial tinha uma duração prevista de seis meses, até Junho deste ano), para reduzir o excedente e tentar
estabilizar os preços.
Neste contexto, os preços do petróleo estão a subir nos mercados internacionais, animados pelas perspectivas que apontam para uma recuperação da cotação da matéria-prima nos primeiros
meses do próximo ano.
O barril de crude negociado em Nova Iorque (West Texas Intermediate) avança 1,42 por cento para 46,48 dólares e o Brent do Mar do Norte, negociado em Londres e que serve de referência para as exportações nacionais, ganha 1,45 por cento para
48,85 dólares por barril.