Mercados

EIU e Fitch fazem recomendações

A consultora Economist Intelligence Unit (EIU) alertou este domingo para a necessidade de Angola “endividar-se de forma sensata” sob perigo de entrar em situação de incumprimento financeiro, ou ‘default’, devido ao alto nível de endividamento.

A consultora Economist Intelligence Unit (EIU) alertou este domingo para a necessidade de Angola “endividar-se de forma sensata” sob perigo de entrar em situação de incumprimento financeiro, ou ‘default’, devido ao alto nível de endividamento.
“O pagamento da dívida já é a maior rubrica de despesa em Angola e o país tem de equilibrar a sua necessidade de investimento com o endividamento sensato, se quiser evitar uma situação de ‘default’”.
Os analistas advertem sobre o novo pacote de financiamento de 11 mil milhões de dólares, acordado entre as autoridades dos dois países no Fórum de Cooperação China-África (FOCAC).
“O novo pacote de crédito da China é significativo; no entanto, apesar de ajudar a desbloquear financiamento para pagar os tão necessários investimentos, também vai aumentar o fardo da dívida nacional”, vinca a EIU, notando que o acordo é alcançado numa altura em que Angola já garantiu 4,5 mil milhões de dólares do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Transporte
O transporte rodoviário vai continuar a liderar a procura de petróleo mas o setor petroquímico vai ter o maior crescimento e o setor da aviação vai registar o crescimento mais rápido. - O transporte rodoviário representou no ano passado 45% da procura total com 43,6 milhões de barris por dia e deve crescer para 47,8 milhões de barris por dia em 2040. “O aumento do stock de veículos é o fator chave que contribui para o aumento do consumo de petróleo no setor de transporte rodoviário. O stock total de veículos deverá crescer em cerca de 1,1 mil milhões entre 2017 e 2040 para
atingir os 2,4 mil milhões”.