Mercados

Cimento"Yeto" do Cuanza Sul chega amanhã à região do Luau

Quatrocentas toneladas de cimento “Yetu”, produzidas na Fábrica de Cimento do Cuanza Sul (FCKS), começam a ser transportadas a partir de amanhã.

Quatrocentas toneladas de cimento “Yetu”, produzidas na Fábrica de Cimento do Cuanza Sul (FCKS), começam a ser transportadas a partir de amanhã (sábado) através dos Caminhos de Ferro de Benguela (CFB) para o município fronteiriço do Luau, província do Moxico, no quadro da expansão de vendas do produto. “Este é o nosso primeiro carregamento do produto, através dos Caminhos-de-ferro de Benguela e pretendemos continuar e abrir novos mercados no mesmo corredor, Huambo, Bié e Moxico, dentro das estratégias de comercialização e futuramente atingir os países limítrofes”, anunciou hoje em conferência de imprensa o chefe de departamento regional de vendas da FCKS, Jacinto Silva. As 400 toneladas já se encontram na província de Benguela, para serem transportadas via ferroviária para o município do Luau. A administração da fábrica, com o apoio do Ministério da Energia e Águas, tem em carteira a construção de uma subestação de energia eléctrica. Disse estar igualmente em carteira o arranque da segunda fase do projecto da fábrica, que vai permitir aumentar a capacidade de produção de cinco mil para 10 mil toneladas de cimento/dia. A Fábrica de Cimento do Cuanza Sul, localizada na província com o mesmo nome, reabriu oficialmente a 18 de Abril último, depois de uma paralisação de oito meses, com a produção de 5.500 toneladas de cimento/dia e 4.500 toneladas de clinquer cuja comercialização já é feita em todo o país. O cimento está a ser comercializado na fábrica ao preço de mil e 400 kwanzas o tipo 42,5 e mil e 350 kwanzas o tipo 32.5, ambos de 50 kg e do tipo 42,5 granel 28.000 kwanzas por tonelada . Antes da paralisação, em Novembro de 2017, a fábrica de cimento detinha uma produção na ordem de 80 mil toneladas/mês , o que permitiu a sua venda no país e nas vizinhas repúblicas do Congo e Congo Democrático.