Mercados

bancos acumulam lucros em ano de recessão

No ano de 2018, o bom desempenho dos cinco maiores bancos privados (BFA, BE, BAI, BIC e Millennium), em meio à recessão económica que o país atravessa comprovaram a solidez do sistema financeiro nacional.

No ano de 2018, o bom desempenho dos cinco maiores bancos privados (BFA, BE, BAI, BIC e Millennium), em meio à recessão económica que o país atravessa comprovaram a solidez do sistema financeiro nacional.
As perspectivas superaram as expectativas quando os lucros dos cinco maiores bancos privados, que operam no sistema financeiro angolano dos cinco maiores bancos dispararam 144 por cento de Janeiro a Setembro em relação ao período homólogo.
A capacidade dos bancos angolanos de sustentar lucros e retornos elevados neste cenário económico reflecte um sistema moldado numa trajectória que envolve inflação alta e câmbio instável, dizem especialistas e agentes do sector.
Neste contexto, os resultados líquidos dos cinco bancos privados angolanos de Janeiro a Setembro já quase triplicaram, obtendo um crescimento de 406,4 mil milhões de kwanzas, cifra correspondente a um aumento de 143,8 por cento face ao mesmo período do ano passado, no qual o BFA foi de igual modo campeão.
Neste quesito, o BFA posicionou-se em primeiro lugar com resultado líquido de 150,6 mil milhões de kwanzas, mais 128 por cento em relação aos 9 meses de 2017.
O ambiente, tipicamente turbulento, potencializou a preocupação do banco central com a estabilidade financeira, o que o levou a adoptadas medidas para melhorar o sistema financeiro angolano foi bem sucedido.
O BNA tomou ainda a iniciativa de passar a divulgar, no último dia útil de cada mês, de forma indicativa, o montante e calendário das suas intervenções no mercado cambial para o mês seguinte, com o objectivo de conferir maior previsibilidade ao mercado.