Lazer

Importância do Fluxo de Caixa para os Gestores Financeiros

O fluxo de caixa é um dos demonstrativos mais importantes do dia-a-dia de trabalho de qualquer gestor financeiro. Além de fornecer informações essenciais sobre a saúde financeira da empresa, ele também possibilita uma série de análises que podem ajudar na tomada de diversas decisões importantes.

O fluxo de caixa é um dos demonstrativos mais importantes do dia-a-dia de trabalho de qualquer gestor financeiro. Além de fornecer informações essenciais sobre a saúde financeira da empresa, ele também possibilita uma série de análises que podem ajudar na tomada de diversas decisões importantes.
Agora, se engana quem acha que simplesmente controlar as entradas e saídas é suficiente para ter boas análises e controlar o financeiro sem problemas. Para chegar nesse nível existe uma série de elementos rápidos sobre fluxo de caixa que podem ajudar gestores financeiros a tirar o melhor dessa ferramenta.
De maneira geral são formas simples, mas que nem todo gestor financeiro coloca em prática no seu exercício empresarial. Vamos ver cada uma delas agora:
1. Use a tecnologia ao seu favor - Uma das melhores formas de controlar o seu financeiro com relativamente pouco trabalho é utilizar planilhas prontas ou sistemas profissionais que a tecnoligia já trás;
2. Categorize as suas informações financeiras - Se já tem uma ferramenta que auxilie no controlo financeiro, precisa pensar em quais informações são importantes para a sua empresa: plano de contas, formas de pagamento e centros de custo;
3. Acompanhe as entradas e saídas periodicamente - Faça um acompanhamento diário de toda actividade financeira da empresa. Tente entender dias melhores ou piores para que as boas práticas sejam recorrentes e o que estiver de errado seja corrigido rapidamente;
4. Tenha o foco em análises dos principais relatórios financeiros - Existem dois relatórios principais que precisam ser analisados sempre em conjunto: o fluxo de caixa e os demonstrativo de resultado do exercício. Ambos vão te mostrar uma forma de analisar suas finanças;
5. Use gráficos para analisar mais rápido - Seguindo essa mesma ideia, quando tem uma planilha ou software que já proporciona os resultados por gráficos, com certeza perderá muito menos tempo nesse processo. A ideia é simples, faça um acompanhamento de resultados numa linha do tempo e comparativas do mesmo mês. Apenas pela análise rápida dos gráficos é possível entender se existem variações positivas ou negativas e se algum grupo do plano de contas está participar mais do que outros;
6. Defina metas para os principais indicadores - Para começar, saiba o que realmente importa para a sua área financeira. Os principais indicadores a se reter são: as receitas, despesas, margem de contribuição, lucro e a lucratividade. Agora, querer não faz com que as metas e os indicadores sejam alterados ou alcançados e, como de maneira geral a área financeira não é a área que cuida da operação do negócio, pode ser necessário trabalhar em equipa com outras áreas para atingir esses objectivos;
7. Faça o planeamento e controlo do orçamento - Planee no mínimo o seu próximo mês antes dele começar, dessa forma, antes mesmo do seu início já terá uma boa noção se terá mais receitas do que despesas, se o caixa acumulado será suficiente para pagar as contas do mês e se existe algum problema financeiro em vista. Para isso, um simples exercício de definição de metas de receitas e despesas pode ajudar bastante. Ao longo do mês e, principalmente ao seu final, entenda o que ocorreu de diferente do que havia sido previsto e melhore sempre a partir dessas análises.