Lazer

Gestão de recursos humanos dentro das pequenas empresas

O RH é essencial para que uma empresa cresça de forma estruturada e sustentável, uma vez que, a partir do “business plan” definido pela direcção, o departamento de gestão de pessoas pode orientar os colaboradores na busca dos resultados traçados e esperados.

O RH é essencial para que uma empresa cresça de forma estruturada e sustentável, uma vez que, a partir do “business plan” definido pela direcção, o departamento de gestão de pessoas pode orientar os colaboradores na busca dos resultados traçados e esperados.
A grande questão tem sido, sobretudo para as pequenas empresas, como desenvolver e manter a gestão eficaz de recursos humanos numa organização de pequeno porte de formas a envolver e reter talentos ou como o departamento pode apoiar o processo de crescimento da empresa? Estas questões são comuns aos gestores de pequenas empresas que se preocupam com o bem-estar dos colaboradores e acreditam que o ambiente profissional é fundamental para sua fidelização interna.

Aliado interno

Mas, para que isso funcione de modo satisfatório, os decisores precisam olhar para o RH como um verdadeiro aliado, pronto para garantir o suporte necessário na condução do crescimento da companhia. As expectativas precisam ser claras e traçadas em conjunto, assim, o profissional terá uma visão macro de onde a empresa pretende chegar e o que deve fazer em seu dia-a-dia, transformando os planos em metas.
O que muitos gestores não sabem é que mesmo uma empresa de pequeno porte pode, ou melhor, deve, ter um departamento de Recursos Humanos actuante e organizado para mediar as relações, compartilhar informações, criar padrões de trabalho e acompanhar a sua evolução. Muitos erram ao tentar adaptar numa PME modelos prontos que funcionam em grandes corporações. O RH de uma empresa precisa nascer com ela, estar presente desde sempre, fazer parte do seu DNA, pois isso garante que as acções sempre estejam alinhadas às necessidades de cada fase.

Interação em equipa

Numa pequena empresa a proximidade da equipa pode ser um grande diferencial, até competitivo. Um grupo próximo tende a ficar mais forte e comprometido, porque a proximidade não significa falta de profissionalismo ou regras, mas a possibilidade de ser mais flexível e adaptável. Não é raro, colaboradores que trocam uma grande empresa por uma PME sentem um choque positivo. Acostumados à falta de flexibilidade, muitos se surpreendem com a opção de ter os benefícios ajustáveis as suas necessidades e cargo, por exemplo, o que geralmente é inviável numa grande corporação pela dificuldade de operacionalizar cada
caso separadamente.

Grupos pequenas

Quando se tem uma equipa menor, o RH consegue desenhar planos de carreira e desafios de acordo com perfil e aptidão de cada colaborador, sempre alinhado às metas da empresa, e acompanhar de perto o desenvolvimento do mesmo com maior facilidade que as grandes. O profissional, por sua vez, gosta de ter seu plano personalizado, sente o quanto os seus pontos fortes são valorizados e utilizados, além de ter claro o caminho que deve seguir para melhorar os seus pontos mais fracos. Esse acompanhamento também fica mais fácil numa PME, onde os gestores conseguem se envolver pessoalmente no desenvolvimento dos seus colaboradores.

Conselho aos executivos

Os executivos também precisam ter em mente que uma pequena empresa não pode usar o seu porte como argumento para oferecer salários abaixo do mercado. Independentemente do tamanho de uma companhia, ela sempre deseja os melhores profissionais, afinal, disso depende os seus resultados e crescimento. Portanto, para ter os melhores colaboradores, é preciso oferecer salário e benefícios compatíveis.
Qualquer empresa, independentemente de porte ou segmento de actuação, é feita por pessoas. Em alguns casos, como nas empresas de consultoria, por exemplo, isso é ainda mais característico, pois o capital intelectual é o principal activo, fazendo com que o sucesso dos negócios esteja directamente relacionado à dedicação desses profissionais que, por sua vez, produzem melhor quando se sentem motivados e valorizados.