Lazer

Brasil-Angola de laços firmes

O embaixador do Brasil em Angola, Paulino Neto, realçou esta semana, em Luanda, a necessidade de se intensificar as relações entre angolanos e brasileiros por intermédio da indústria cultural.

O embaixador do Brasil em Angola, Paulino Neto, realçou esta semana, em Luanda, a necessidade de se intensificar as relações entre angolanos e brasileiros por intermédio da indústria cultural.
O diplomata fez pronunciamento em conferência de imprensa de balanço da exposição “A língua portuguesa em nós”, que se realiza desde o dia 12 de Junho e decorre até 24 de Agosto, no Centro Cultural Brasil-Angola.
Segundo Paulino Neto, a exposição é uma forma de valorizar a cultura dos dois países e, desta forma, estreitar os laços entre os povos, por intermédio do binómio que é a língua portuguesa.
O embaixador realçou que a promoção da língua portuguesa e a cooperação com as nações lusófonas compõe um dos principais eixos de actuação
da diplomacia brasileira.
Por sua vez, a directora do Centro Cultural Brasil-Angola, Nidia Klein, informou que a exposição, desde a sua abertura, foi visitada por mais de mil e 800 pessoas.
Adiantou que a data do fim da exposição foi estendida até 24 de Agosto devido à procura por parte do público e, sobretudo, por parte das várias escolas e universidades que têm visitado o evento.
Para além da exposição fixa, semanalmente o público pode assistir e participa nas actividades culturais que foram criadas e organizadas como cinema, feiras do livro, oficinas de escrita, sessões de curtas-metragens, entre outros.
Para si, esse evento mostra a riqueza da língua portuguesa com debates que une os povos de Angola e Brasil, e ao mesmo tempo que os separa
enquanto falantes de português.