Lazer

Identidade cultural nacional

A mulher angolana na preservação da identidade cultural foi abordada recentemente, em conferência, na oitava edição do Dia da Língua Portuguesa.

A mulher angolana na preservação da identidade cultural foi abordada recentemente, em conferência, na oitava edição do Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Identidades Femininas e Expressões Musicais. Em declarações à Angop, em Lisboa, a presidente da Plataforma para o Desenvolvimento da Mulher Africana, Luzia Moniz, salientou que fez uma abordagem pormenorizada sobre o processo de reafricanização dos costumes. Para ela, torna-se necessário a participação de Angola em eventos como estes, por permitir, cada vez mais, divulgar a cultura do país. O encontro, que decorreu em Budapeste, Hungria, teve como objectivo comemorar o 5 de Maio, Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP. O certame, organizado pelas embaixadas de Angola, Portugal e Brasil na Hungria, vai contar com a participação de estudantes universitários, corpo diplomático acreditado em Budapeste e sociedade civil. No contexto do referido programa, o evento serviu para abrir as suas portas a fim de mostrar e promover os valores sócio-económicos, culturais, culinária, arte e danças dos povos de Angola, de formas a atrair mais visitantes. Foram igualmente feitas exposições fotográficas, mostrando um pouco dos valores sócio-culturais e económicos, passando pela exposição de artesanato nacional, também participaram artesãos membros da diáspora residentes em Portugal, principalmente as raízes culturais da identidade nacional angolana e as diversas manifestações culturais surgidas em Luanda na última fase do colonialismo português.