Finanças

Ministro quer rigor na gestão

O ministro das Finanças, Archer Mangueira, revelou, esta semana, através de uma mensagem nas celabrações do “Dia do Trabalhador das Finanças” que os funcionários afectos ao seu pelouro deverão continuar a revelar rigor, disciplina na gestão da coisa pública a si entregue.

O ministro das Finanças, Archer Mangueira, revelou, esta semana, através de uma mensagem nas celabrações do “Dia do Trabalhador das Finanças” que os funcionários afectos ao seu pelouro deverão continuar a revelar rigor, disciplina na gestão da coisa pública a si entregue.
De acordo com Archer Mangueira, nas Finanças desde Setembro de 2016, e reconduzido recentemente às mesmas funções no Governo saído das Eleições de 23 de Agosto, seja na arrecadação de receitas tributárias como na das despesas, o compromisso dos trabalhadores das Finanças deve ser com a excelência e a integridade.
“Todos os agentes da administração pública, em particular os colaboradores deste departamento ministerial, são chamados a exercer com escrúpulo moral e máxima dedicação as suas actividades em prol do bem comum”, disse.
O ministro lembra que, entre 2013 e 2016, foi preciso acomodar o sistema financeiro ante uma redução da receita petrolífera estimada em 61 por cento ao mesmo tempo em que o saldo corrente da Balança de Pagamento passou de um superavite de 8,1 mil milhões de dólares para um défice de 12,3 mil milhões de dólares.
Para o ministro Archer Mangueira, foi graças às reservas financeiras acumuladas ao longo dos anos e uma reputação robusta do Estado nos mercados financeiros doméstico e internacionais que foi possível mitigar para as empresas e famílias o impacto dos ajustamentos operados.