Especial

Campanha é aberta quarta-feira no Cachiungo (Huambo)

A província do Huambo acolhe, na próxima quarta-feira, o acto oficial da abertura nacional da campanha agrícola 2017/2018, com as condições para garantir aos camponeses da região instrumentos necessários para a actividade.

A província do Huambo acolhe, na próxima quarta-feira, o acto oficial da abertura nacional da campanha agrícola 2017/2018, com as condições para garantir aos camponeses da região instrumentos necessários para a actividade.
Com efeito, o acto vai ser marcado ainda assim com a distribuição de inputs agrícolas e terras aráveis às associações e cooperativas
agrícolas de Cachiungo.
O ministro da Agricultura e Florestas, que esteve no Huambo para avaliar os preparativos do lançamento da campanha agrícola 2017/2018, a ter lugar no município do Cachiungo, concluiu que a província está preparada para o efeito.
“Viemos à província do Huambo para trabalharmos com as autoridades locais, no sentido de aferirmos a preparação do ano agrícola 2017/2018. Como vocês têm conhecimento, a abertura do ano agrícola este ano será aqui na província e é um ano que vai ser diferente daquilo que é habitual. Então, era importante virmos para cá para trabalharmos com as autoridades locais, vermos como é que está o local e prepararmos a abertura da campanha”, esclareceu.
Marcos Alexandre Nhunga considera diferente a presente campanha pelo volume de meios que estão a ser alocados à província do Huambo para apoiar a agricultura.
O ministro anunciou, ainda para o Huambo, o lançamento do projecto agrícola que está a ser implementado no município da Chicala Cholohanga, que vai envolver um maior número de empresários locais para responder à necessidade da diversificação da economia.
“Estão de parabéns a província do Huambo e os empresários desta região. Trata-se de um projecto aprovado que pensamos, antes do fim do ano, arrancaremos. O governo da província já disponibilizou a área e acreditamos que é um projecto diferente dos outros já feitos”, considerou.
Neste momento, já está indicado o grupo de empresários que se vai envolver, não só no acompanhamento e na sua implementação, mas também pensamos que no futuro sejam estes mesmos empresários a gerir, não só aqui mas também noutras províncias que não tenham projectos de média e grande escala, disse. Nesta altura, estão já preparados no Huambo 259 hectares de terras para esta campanha e a previsão é atingir 300 para serem cultivados com várias culturas, principalmente cereais como o milho e feijão e outras culturas, como a batata rena e doce, assim como hortícolas diversas.

Longonjo produz adubo orgânico

O ministro da Agricultuira, Marcos Nhunga, também esteve no município do Longonjo, onde constatou o funcionamento da fábrica de produção de adubo orgânico, produto indispensável para aumentar a produtividade agrícola.
No final destas visitas, informou à imprensa que a campanha agrícola 2017/2018 será implementada de forma diferente das anteriores, a julgar pelo volume de investimentos feitos pelo governo para alavancar o sector agrícola.
Por esta razão, perspectivou boas colheitas para os camponeses, admitindo que até ao momento as condições essenciais para o arranque da campanha agrícola já estão criadas.

Há condições para uma boa Safra

O país pode registar uma boa campanha agrícola na época 2017/2018, fruto das condições criadas pelo Governo e a disponibilidade das famílias camponesas.
O Governo empenhou-se ao máximo para facilitar o acesso das famílias camponesas aos fertilizantes, sementes e instrumentos de trabalho, para haver mais produtividade. A intenção das autoridades é fazer com que a época agrícola 2017/2018 contribua para a diversificação da economia nacional e a auto-suficiência alimentar.
A estratégia é de que, com o aumento da produção agrícola, o país reduza a dependência da produção petrolífera.