Artigo

Especial

124 sedes comunais com energia eléctrica

Angola dispõe de 159 locais com potencial energético por se explorar. Segundo dados do Ministério da Energia Águas, o país explora apenas 5 por cento da potencialidade que detém em recursos hídricos.

Angola dispõe de 159 locais com potencial energético por se explorar. Segundo dados do Ministério da Energia Águas, o país explora apenas 5 por cento da potencialidade que detém em recursos hídricos.
Estes indicadores foram avançados durante a cerimónia que marcou a inauguração do aproveitamento hidroeléctrico de Laúca situado entre as províncias de Malanje e Cuanza Norte, pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, ladeado pelo Vice-presidente da República, Manuel Domingos Vicente, bem como de membros do Executivo angolano, entidades religiosas e corpo diplomático acreditado em Angola.
Antes de accionar o botão na barragem de Laúca, o Chefe de Estado angolano testemunhou a consignação das obras da barragem de Caculo Cabaça, na província do Cuanza Norte, avaliada em mais de 4 mil milhões de dólares, e que vai gerar 2.100 megawatts de energia, cuja conclusão está prevista para 2022.

Projectos estruturantes
O projecto “Angola Energia-2025” prevê realizar um conjunto de investimentos, de modo a aumentar as capacidades do país em termos de produção, transporte e distribuição de energia eléctrica.
A iniciativa prevê igualmente interligar os sistemas do Leste ao Norte, assim como do Norte ao Centro e posteriormente
ao Sistema Sul.
De acordo com os especialistas em matéria energética, além dos grandes empreendimentos, a malha energética do país deve contar igualmente com os pequenos empreendimentos hidroeléctricos locais, sobretudo, de iniciativa dos fazendeiros, pois, para estes, além de garantirem o fornecimento de electricidade aos equipamentos fabris e comerciais podem assegurar o bom funcionamento dos projectos agro-industriais.
O objectivo do Governo é que essas iniciativas satisfaçam entre 5 e 10 por cento das necessidades de energia
eléctrica no país até 2025.
Para o Instituto Regulador do Sector Eléctrico (IRSE), o Programa Nacional de Electrificação Rural prevê garantir, até 2017, o acesso à energia eléctrica à 86 sedes municipais e 124 sedes comunais do país.

Objectivos
Entre as metas do governo angolano para os próximos anos consta a construção dos aproveitamentos hidroeléctricos do Zenzo (Cuanza Norte), com 950 megawatts, Túmulo do Caçador (Cuanza Norte), com 450 e Lwime, com 350, todos a nível do curso normal do Médio Kwanza.
Os empreendimentos estão entre o troço do rio Kwanza e Luanda, situado no sistema energético Norte de Angola e que consome 70 por cento da energia produzida.
Estima-se que até 2025, o país venha a registar um forte crescimento da procura de energia eléctrica que deverá atingir os 7,2 gigawatts, ou seja, mais de quatro vezes a procura actual estimando-se um crescimento médio anual na ordem 15 por cento até 2017 e 12 por cento entre 2017 e 2025.