Empresas

Porto amboim aposta no fabrico de barcos para pesca

A construção de barcos semi-industriais de até 27 metros de cumprimento e seis metros calados, com uma capacidade de 60 toneladas de pescado, constitui a aposta da empresa Sopesol, informou, recentemente, no Porto Amboim, província do Cuanza Sul, o empresário, António Vieira.

A construção de barcos semi-industriais de até 27 metros de cumprimento e seis metros calados, com uma capacidade de 60 toneladas de pescado, constitui a aposta da empresa Sopesol, informou, recentemente, no Porto Amboim, província do Cuanza Sul, o empresário, António Vieira.
Segundo a Angop, nesta iniciativa de fabricação de barcos semi-industriais, a Sopesol está em parceria com a empresa Siac, com quem tem um contrato e do qual já resultou a construção de uma embarcação, de uma série de quatro previstas.
O barco já construído entra em actividade nos próximos dias. Um barco deve custar cerca de 500 mil dólares norte-americanos.
A aposta das empresas nesse domínio decorre da falta de estaleiro naval e do recurso à importação de barcos, tendo em conta a existência de barcos paralisados e da incapacidade de reparação local.
Para que a indústria naval se destaque e produza o suficiente tendente a reduzir a importação de barcos, o empresário destacou a necessidade da facilitação na obtenção de crédito e de divisas para a importação de sobressalentes.
Afirmou que as companhias estão prontas para apoiar a actividade de pesca, mas para tal urge a necessidade de haver apoio à indústria naval na importação de motores  naval, tendo em conta que o país não fabrica.

Revitalização
Num fórum sobre a revitalização das pescas realizado de 28 a 29 de Março, o governador do Cuanza Sul, Eusébio de Brito Teixeira, disse que há condições para a instalação de um pólo de transformação pesqueiro e construção de pequenas embarcações de pesca , sendo a energia eléctrica um factor determinante.
O projecto vai permitir a industrialização do sector no domínio da construção naval.
No mesmo evento, a ministra das Pesca e do Mar, Victória de Barros Neto, avançou que “no domínio das infra-estruturas vai ser promovido o surgimento de estaleiro naval para a reparação e requalificação de pequenas e médias embarcações”.
 As embarcações de pesca semi-industrial têm uma capacidade para navegar de 8 a 12 milhas náuticas.
A ministra anunciou a construção de um porto de pesca no Porto Amboim e um centro de apoio à pesca artesanal.