Empresas

Mediatecas de Luanda vão ministrar cursos da Microsoft

O director Geral da Unidade Técnica de Gestão da Rede de Mediatecas de Angola (REMA), Paulo Pedro, disse ao JE, que a instituição que dirige vai ministrar cursos da Microsoft de modo a conferir aos angolanos competências e habilidades em matéria de informática. Paulo Pedro, que falava em exclusivo para o JE, disse, que numa primeira fase a instituição vai receber até 25 estudantes. Já na segunda fase a ideia é aumentar a cifra. Segundo informou, estão habilitados para este curso estudantes do ensino médio assim como ensino superior com domínio em informática.

O director Geral da Unidade Técnica de Gestão da Rede de Mediatecas de Angola (REMA), Paulo Pedro, disse ao JE, que a instituição que dirige vai ministrar cursos da Microsoft de modo a conferir aos angolanos competências e habilidades em matéria de informática. Paulo Pedro, que falava em exclusivo para o JE, disse, que numa primeira fase a instituição vai receber até 25 estudantes. Já na segunda fase a ideia é aumentar a cifra. Segundo informou, estão habilitados para este curso estudantes do ensino médio assim como ensino superior com domínio em informática.

Questionado sobre o custo da acção formativa, o responsável explicou, que a inscrição vai rondar os 10.000 kwanzas.
Entre os serviços prestadas pela Rede de Mediatecas de Angola, consta a promoção do conhecimento através de acções formativas, palestras, conferências, assim como a promoção do empreendedorismo, tecnologias e artes.
Actualmente a Rede de Mediatecas de Angola, conta com um total de oito infra-estruturas erguidas de raiz, sendo duas em Luanda, nomeadamente a 28 de Agosto junto ao Largo das Escolas e Mediateca Zé Dú, no Cazenga, as restantes foram erguidas nas províncias de Cabinda, Benguela, Huambo, Zaire, Lubango, Saurimo e Cunene. Já as mediatecas de proximidade, vulgo mediatecas móveis, num total de seis, foram colocadas nas províncias de Luanda, Uíge, Cabinda e Malanje.
Paulo Pedro aproveitou a ocasião para explicar, que a actual conjuntura económica, travou a progressão das mediatecas, em construção um pouco por todo o país.