Empresas

Bilhetes da TAAG mais baratos

Os bilhetes de passagem da rede doméstica poderão sofrer uma redução no preço nas próximas duas semanas, em função da aprovação de um novo modelo tarifário, assente na introdução do mecanismo de gestão de tarifas variáveis levado a cabo pelas Linhas Aéreas de Angola (TAAG).

Os bilhetes de passagem da rede doméstica poderão sofrer uma redução no preço nas próximas duas semanas, em função da aprovação de um novo modelo tarifário, assente na introdução do mecanismo de gestão de tarifas variáveis levado a cabo pelas Linhas Aéreas de Angola (TAAG).

Este novo modelo de carácter imediato permitirá aos clientes que adquirirem o seu bilhete de passagem com a devida antecedência beneficiar de uma redução que pode variar entre 10 e 20 por cento, abaixo do preço actual em todas as rotas domésticas da TAAG com excepção de Cabinda que já beneficia de uma tarifa especial aprovada pelo Executivo.
A medida da operadora de bandeira nacional surge na sequência de várias reclamações por parte dos cidadãos que têm como opção para as suas deslocações ao interior do país e vice-versa, quer para turismo, quer para tratarem dos seus negócios, comparando com destinos como Joanesburgo que chega a custar menos.

Estimativas de preços
Por exemplo, para o bilhete de passagem de ida e volta Luanda/Huambo, o preço actual está fixado em 61.962 Kwanzas.
Cálculos feitos pelo JE com as rotas de maior frequência de passageiros, estima-se que com a redução de 10 por cento a passagem desta rota poderá custar 55.766 Kz, enquanto a 20 por cento poderá fixar-se em 49.570 Kz.
Já para a rota Luanda/Catumbela a custar 54.136 Kz a sofrer uma redução de 10 por cento, o bilhete de passagem vai custar 49.136, a 20 por cento custará 43.309 Kz. Para a rota Luanda/Lunda Norte com o preço actual fixado em 78.351Kz com ajuste de 10 por cento pode vir a custar 70.516 Kz, enquanto a 20 por cento custará 62.681 Kz.

Vantagens
O director comercial da Taag, Manuel Calçada confirmou que o desconto poderá depender da antecipação da compra do bilhete de passagem.
“Se o cliente comprar o bilhete em mais de sete ou menos de 14 dias haverá um desconto de 10 por cento, e se for mais de 14 dias a redução será de 20 por cento”, explicou.
Em entrevista ao JE o gestor realçou que é uma prática aplicada no sector áereo e a Taag vai implementar visando dar um desconto aos passageiros, depois de uma decisão da administração da empresa.
Manuel Calçada fez saber que o limite máximo desta redução não ultrapassa os 20 por cento de modo a se evitar prejuízos económicos, numa altura em que a operadora tem vindo a fazer um esforço para manter a solidez e consolidação financeira.

Recomendações da IATA
Durante um encontro realizado em Luanda, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) recomendou ser fundamental a criação de um processo de elaboração de tarifas de acordo com o marco das práticas orientadas pela Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) das Nações Unidas.
Aquela organização entende que uma das prioridades das companhias prende-se em melhorar a conectividade, a fim de fazer face à demanda e a concorrência, tornando as viagens aéreas mais acessíveis permitindo desta forma maiores volumes de
comércio, turismo e negócios.
A IATA reconhece ainda que as companhias aéreas precisam de aeroportos com capacidade para atender a demanda, fornecendo a funcionalidade, os níveis de serviço e a eficiência para realizar as operações e cumprir com os requisitos de experiência dos clientes actuais e futuros.
“Tudo isso deve ser gizado de forma económica, uma vez que investimentos desnecessários trazem custos mais altos para as companhias e os passageiros, resultando em menor procura de serviços”.
A Taag deverá em breve retomar os voos directos entre as cidades da Praia (Cabo Verde) e Luanda, com as rotas das companhias de bandeira nacional Taag ou a TVC.