Capa

UCAN e OSISA apresentam relatório

Um relatório sobre a “Economia informal em Angola: Caracterização do Trabalhador Informal”, apresentada na Universidade Católica de Angola (UCAN), a 26 de Setembro, pelo Centro de Estudos Africanos (CEA), em parceria com a Open Society Iniative for Southern Africa (OSISA), relata-se que a economia informal em Angola é um sector fundamental para a provisão de bens e serviços em África.

Um relatório sobre a “Economia informal em Angola: Caracterização do Trabalhador Informal”, apresentada na Universidade Católica de Angola (UCAN), a 26 de Setembro, pelo Centro de Estudos Africanos (CEA), em parceria com a Open Society Iniative for Southern Africa (OSISA), relata-se que a economia informal em Angola é um sector fundamental para a provisão de bens e serviços em África.
“A sua magnitude e importância também têm merecido a preocupação dos órgãos oficiais e o fenómeno da informalidade está na base do lançamento de instrumentos legais e financeiros para fomentar e oficializar os micros e pequenos negócios”, revela o relatório. No entanto, lê-se no documento, “muitas dessas medidas não se têm mostrado à altura, para impulsionar a reconversão da economia”.
Embora os instrumentos legais, financeiros e educacionais sejam importantes na reestruturação do sector informal, os organizadores do evento dizem que nenhum desses instrumentos pode ser válido, se não for conhecido o real perfil do trabalhador informal.
Com essa preocupação, e com o livro “A economia informal em Angola: caracterização do trabalhador informal”, os economistas Alexandre Ernesto e Gorete Capilo colocaram à disposição da sociedade civil angolana e dos decisores políticos, informações relevantes para a compreensão da actividade informal e para a compreensão das características do trabalhador informal.