Infraestrutura

Agricultura familiar sustenta mercado

A agricultura familiar no Bié tem sustentado o mercado formal e informal, bem como o sustento das famílias com menos rendimentos financeiros, afirmou o director local do sector, Marcolino da Rocha Sandemba.

A agricultura familiar no Bié tem sustentado o mercado formal e informal, bem como o sustento das famílias com menos rendimentos financeiros, afirmou o director local do sector, Marcolino da Rocha Sandemba.

O responsável assegurou, em entrevista ao JE, no Cuito, a aposta do governo da província do Bié no que se refere à agricultura na qual incide na expansão e fomento das mais variadas culturas para responder a demanda populacional.

Nesse sentido, de acordo com Marcolino Sandemba, o Ministério da Agricultura tem em carteira projectos estruturantes, que visam apoiar os camponeses e consequência disso reactivar em grande escala a actividade do campo.

Desafio aos investidores
O director da Agricultura esclareceu que o Bié não conta com um apoio significativo do empresariado no que toca ao fomento do sector, mas que, ainda assim, há perspectivas de atingir-se bons indicadores.

“Existe um esforço na construção de infra-estruturas para desenvolver a agricultura e esperando-se, desse modo, que os agentes privados apostem nesse sector para que se obtenha uma actividade de alto rendimento”, assegurou Marcolino Sandemba.

O responsável máximo do pelouro da agricultura no Bié disse, ainda, haver necessidade de se realizar vários estudos, desde a caracterização dos solos para compreender a nutrição da terra e os tipos de in-puts que podem ser aplicados.

Na óptica do interlocutor do JE, o aproveitamento dos recursos hídricos que a província dispõe está ser analisado para a sua posterior aplicação e assim encontrar-se saídas para uma agricultura de alto rendimento e escoarem-se com maior facilidades os produtos.

As bases químicas dos solos podem assegurar que os nutrientes na primeira camada tem uma produção enorme em cereais onde determinadas culturas possam progredir em alta escala”, argumentou o responsável da agricultura.

Boas práticas
Como exemplo, Marcolino Sandemba sublinhou que a província do Cuando Cubango pode ser aproveitada para o intercâmbio entre agricultores com vista a atingir resultados mais significativos na actividade.

“Nesse sentido, está ser levado a cabo um projecto que visa recuperar a produção do milho, soja e feijão a nível da província do Bié, em que a juventude será a principal beneficiária para a progressão da agricultura, adiantou.

Marcolino Sandemba disse que a perspectiva do Ministério da Agricultura consiste, sobretudo, em criar agentes privados e isso, como argumenta, carece de investimento que vai desde a produção animal e vegetal.

O responsável do governo da província do Bié assegurou, por outro lado, que se vai continuar apostar na agricultura familiar, para assegurar-se, assim, o sustento do crescente número da população, partcularmente das zonas rurais.

“Existe um potencial enorme para a diversificação da economia através da agricultura. Por isso, existem muitas solicitações de projectos para a produção agrícola e que visam implementar componentes industriais”, afirmou.

Centros agronómicos
O governo do Bié, de acordo com Marcolino Sandemba, está criar condições para dar possibilidade aos investidores na implementação dos seus programas.

“O polo industrial do Cunje será um grande exemplo no fomento da actividade agrícola, desde a transformação de produtos do Bié, o mercado local e nacional”, afirmou o director da agricultura do Bié, reiterando igualmente o compromisso do fomento da actividade dos centros de formação agronómica.

Estes centros, como discerniu, jogam um papel crucial na actividade agrícola, que na actual conjuntura é preponderante para o processo de diversificação da economia que o Executivo central vem perspectivando.

A nível do Bié, lembre-se, a formação agronómica ocorre nos centros existentes no Cuito e Andulo, particularmente onde pontifica o Instituto Médio Agrário, que acolhe estudantes oriundos de diferentes pontos do país.