Gestão

Liderança global nas organizações

Os líderes são hoje confrontados com um fluxo de informações que ultrapassam as fronteiras do ambiente das suas corporações.

As empresas precisam de líderes globais que possam trabalhar efectivamente dentro do contexto de competição internacional. A liderança global requer mais do que apenas a colocação de um rótulo global em alguém cujo domínio inclui trabalhos estrangeiros ou cessionários internacionais dos quais os requerimentos de lideranças globais variam significantemente.
O primeiro passo é entender o que significa global. O conceito é amplo e deve ser cuidadosamente delineado e especificado, para englobar diversas coisas. Há também inúmeros níveis variados de exposição global que os indivíduos e as organizações vivenciam.
Um quadro de liderança global pode ajudar a firmar a gestão do desenvolvimento global e do talento de liderança, e não apenas a identificar tarefas e competências requeridas por líderes globais, mas também a criar programas que possibilitem os indivíduos manter e actualizar relações sociais com agentes em diferentes contextos.
Actualmente, algumas empresas multinacionais começaram a inventar tais programas e os seus resultados iniciais apoiam as principais doutrinas do quadro proposto inicialmente pela organização. Os gerentes globais se deparam com mais diversidade, mais actividades que ultrapassam fronteiras, mais stakeholders, mais pressão competitiva e volatilidade, maior complexidade, ambiguidade e uma maior necessidade de flexibilidade comportamental e integração pessoal e geral.

Dimensões identificadas
Há três dimensões para identificar quem e quem não se encaixa na categoria de líder global: a contextual, a relacional e o espaço-temporal. No que diz respeito ao contexto e complexidade, as pesquisas globais sobre liderança concordam que líderes globais são mais influenciados pelo contexto do que os líderes no ambiente doméstico. A mentalidade familiar e experiente de um líder neste caso pode não acomodar facilmente os desafios do trabalho global. Entender o contexto é, portanto, essencial. Uma característica chave do contexto ou do ambiente em que os líderes globais estão
inseridos é a complexidade.
De facto, é o nível de complexidade herdado nas responsabilidades internacionais do líder que determinam o grau que deve ter o termo “global” em relação àquele líder. Isso significa considerar até que ponto eles estão incorporados em condições de multiplicidade, interdependência, ambiguidade e fluxo os quais produzem um efeito multiplicador.
A quebra de fronteiras e a presença ademais da complexidade, os líderes são confrontados por diversos graus no fluxo das funções da ultrapassagem de fronteiras e no trabalho que seus papéis requerem.Essa dimensão relacional inclui actividades ligadas à tomada de perspectiva, construção de confiança e mediação. Mesmo assim, é o fluxo de informações entre o líder global e os outros agentes no cenário global que constitui o âmago da dimensão do significado de líder global.
A fim de ajudar em tais avaliações, há duas dimensões de fluxo diferentes que podem ser avaliadas: a riqueza, ou seja, frequência e alcance de interações; e qualidade, a magnitude ou número de canais que o líder global deve utilizar para, proativamente, quebrar fronteiras.
A terceira dimensão que faz um líder “global” é o espaço-temporal da presença. Um grau mais elevado de presença física é relevante ao mesmo tempo em que confronta o líder não apenas com grandes exigências de mobilidade, mas também com uma grande variedade de emoções, desafios interpessoais e imprevisibilidade e ambiguidade social.

Noção ampla
Os líderes globais são, geralmente, retratados como indivíduos que ocupam posições superiores dentro das organizações, porém tal definição exclui o crescente número de pessoas mais abaixo da hierarquia organizacional que estão comprometidas num trabalho global. Estas liderança, é também, usualmente, um trabalho em equipa onde múltiplos líderes emergem. Consequentemente, aqui se sugere que as definições de liderança não sejam limitadas à posição ou autoridade. É necessário observar que algumas multinacionais adoptaram o desenvolvimento de talentos como um aspecto crítico da liderança e agora avaliam seus líderes em relação a esse ponto de vista bem como aos resultados do desempenho padrão.