Gestão

Investimento em datacenter ajuda a gerir informações

As exigências do mercado e das empresas que procuram cada vez mais parceiros para garantir a fiabilidade e conectividade estão directamente ligadas à capacidade de aposta no combate ao cibercrime que as organizações estão sujeitos todos os dias

Se pensarmos de forma rápida em quantos equipamentos com ligação à internet existem nas empresas, quanta informação temos a nível pessoal ou profissional ou até nos serviços que utilizamos como a dropbox ou o google drive, não teremos ideia dos riscos a que essa informação está sujeita e quantas pessoas podem ter acesso a ela através do cibercrime.
O Executivo está a dar passos muito relevantes ao nível de legislação da cibersegurança, o que aliado a processos internos nas nossas organizações, suportados pelos parceiros certos podem criar um ecossistema mais seguro neste crescente mercado global.
Para fazer face às exigências do mercado e das empresas, que procuram cada vez mais parceiros com garantia de fiabilidade e conectividade, a ITA, por exemplo, inaugurou em 2016 um datacenter construído de raiz e que está em concordância com todos os requisitos internacionais aliados às necessidades específicas locais, oferecendo assim todas as condições para acompanhar a estratégia informática adoptada pelos clientes.
Os ciberataques arrumam-se habitualmente em três categorias. A primeira é a de interrupção de serviço que impossibilita o acesso por parte dos seus utilizadores ou clientes. A segunda a de activos comprometidos que envolve roubo ou má utilização da infra-estrutura, e por último, o “rapto” de componentes que passa por tomar controlo de equipamentos da empresa e depois utilizá-los para lançar novos ataques contra outros existentes na infra--estrutura ou nos parceiros.
A cibersegurança deve ser vista como sendo um processo abrangente a todas as camadas da rede da empresa. As dimensões que devem contemplar este processo são: A segurança das comunicações, fiabilidade dos sistemas, o controlo de acesso, autenticação, confidencialidade dos dados, integridade dos dados ou disponibilidade e privacidade. Devem ser vistos estes aspetos ao nível da infraestrutura, dos serviços, das aplicações e das pessoas.