Especial

Luanda contribui no plano de Governo

O candidato do MPLA a Presidente da República, João Lourenço, orientou ontem, quinta-feira (25), no Centro de Conferências de Belas, em Luanda, um encontro alargado com a classe empresarial, no âmbito da auscultação às distintas franjas da sociedade.

Conforme reportado pela Angop, no encontro, o aspirante a mais alta magistratura da Nação ouviu as preocupações dos empresários, bem como as opiniões a cerca do Programa de Governo do MPLA para o quinquénio 2017-2022, apresentado publicamente a 10 do mês em curso.
No aludido programa, elaborado no quadro das eleições gerais convocadas para 23 de Agosto deste ano, o MPLA augura o desenvolvimento do sector privado, a produtividade e a competitividade da economia angolana, na perspectiva de fortalecer e melhorar, continuamente, o ambiente de negócios.
Sob o lema “melhorar o que está bem e corrigir o que está mal”, o MPLA propõe-se a apoiar todas as iniciativas tendentes à atracção de novos negócios que gerem emprego para os angolanos em idade activa, com realce para os jovens, visando o rendimento para o bem-estar.
Para o efeito, o programa atesta que serão tomadas medidas com vista ao aumento rápido da produção interna de bens e serviços, sobretudo dos produtos da cesta básica e de outros susceptíveis de proporcionar o consumo interno e para a exportação.
Neste sentido, o programa aponta a actuação nas áreas de produção agrícola, pecuária e florestal, pesca e utilização dos recursos marinhos, indústria extractiva, bem como os sectores de exploração e transformação de petróleo e gás. A indústria transformadora nacional, o turismo e o desenvolvimento do sector privado, assim como a produtividade e competitividade da economia, figuram igualmente do projecto de governação do MPLA para os próximos cinco anos.
Recentemente, João Lourenço auscultou as preocupações dos jovens de distintas organizações, através de seus representantes, durante um encontro interactivo realizado no Centro de Conferências de Belas, em Luanda.

Riqueza
Para que todos beneficiem cada vez mais das riquezas do país, o foco do Programa de Governo do MPLA para o período 2017-2022 continuará a ser o combate à fome e à pobreza e o aumento da qualidade de vida do povo angolano.
Já para combater a fome e a pobreza, diminuir a desigualdade entre as pessoas e entre as regiões do país, o programa prevê dar uma atenção muito especial aos programas relativos à diversificação da economia nacional, a criação de empregos e ao apoio ao empresariado nacional.
“Precisamos de desenvolver, de forma programada os sectores mais intensivos em mão de obra, para criar mais empregos, mais rendimentos para os cidadãos nacionais e, por conseguinte, melhorar a qualidade de vida e o bem-estar dos angolanos”, lê-se.
Acelerar o desenvolvimento de sectores como a agricultura, a agro-indústria, a indústria transformadora, a construção, o turismo, as pescas e todos aqueles que criam emprego e garantam o desenvolvimento sustentado de Angola. Por outro lado, distribuir melhor o rendimento nacional, através do aumento do emprego e da atribuição de salários justos e dignos aos
trabalhadores é outra perspectiva.

Investimento Público

O programa de governo do Mpla pretende, também, uma coordenação perfeita entre os investimentos públicos e os privados é condição necessária para acelerar a diversificação progressiva da base económica do país, bem como a sua especialização produtiva.
Os investimentos públicos em infra-estruturas são a base para tornar o investimento privado mais lucrativo e com maiores taxas de retorno. Para isso, dever-se-á prestar atenção especial às infra-estruturas indispensáveis, como a energia, água, estradas, caminhos-de-ferro, portos e aeroportos, de modo a que o investimento privado possa se expandir para todas as regiões de Angola.
João Lourenço esteve já nas províncias da Huíla, Bié, Cabinda, Namibe, Cunene, Cuanza Norte, Moxico, Cuando Cubango, Lunda Sul, Malanje e Luanda (municípios de Cazenga e Viana), restando as províncias da Lunda Norte, Zaire, Bengo, Cuanza Sul, Benguela, Huambo e Uíje.

Linhas Gerais do Programa

1
. Consolidação da paz e da democracia e preservação da unidade e da coesão nacional;
2. Reforço da cidadania e construção de uma sociedade cada vez mais inclusiva;
3. Concretização da reforma e modernização do Estado;
4. Desenvolvimento sustentável com inclusão económica e social e redução das desigualdades;
5. Desenvolvimento humano e bem-estar dos angolanos;
6. Edificação de uma economia diversificada, competitiva, inclusiva e sustentável;
7. Expansão do capital humano e criação de oportunidades de emprego qualificado e remunerador para os angolanos;
8. Defesa da soberania e da integridade territorial do país e da segurança dos cidadãos;
9. Desenvolvimento harmonioso do território, promovendo a descentralização e a municipalização;
10. Reforço do papel de Angola no contexto internacional e regional