Especial

A intenção de poupar é ultrapassada pelos baixos rendimentos e altos preços

O dia mundial da poupança é celebrado no dia 31 de Outubro. Uma data que parece ter sido escolhida a propósito por ser justamente a época do ano em que somos bombardeados de convites que incentivam ao consumo.

O dia mundial da poupança é celebrado no dia 31 de Outubro. Uma data que parece ter sido escolhida a propósito por ser justamente a época do ano em que somos bombardeados de convites que incentivam ao consumo. Em prenúncio da quadra festiva, na televisão, nas vitrinas e até mesmo na internet é comum encontrar promoções que despertam a necessidade da aquisição de determinado produto.
Neste momento de recessão económica que o país atravessa, a poupança pode ser apontada, em contextos de instabilidade financeira, como um plano B para fazer cobro a determinados imprevistos. Por essa razão urge a necessidade de considerar a construção de planos e de novos hábitos financeiros.
No nosso país em alusão ao dia, o Banco Nacional de Angola, (BNA), está a realizar de 30 de Outubro a 5 de Novembro, na casa da juventude, em Luanda, a “Feira da Poupança”, Com o objectivo principal do fomento do nível de educação financeira da população em geral.O certame está a ser realizado em simultâneo nas províncias de Cabinda, Huambo, Benguela, Malanje e Huíla, cumprindo
o mesmo horário e calendário.
Na província de Benguela, a iniciativa foi aberta pelo administrador municipal de Benguela, Carlos Guardado, juntou várias instituições financeiras e reflectiram com os participantes sobre importância do crédito no âmbito da poupança.
“Se a economia não cresce, é através da poupança que é possível reforçar o crédito e não apenas com pessoas de baixa renda”, disse e administrador.
A reportagem do JE saiu à rua e constatou que um pouco esforçados pela crise e dos imprevistos que a situação em situação por si só acarreta, o cidadão nacional já está mais preocupado em poupar.
Alguns entrevistados apesar das dificuldades, mesmo sem poder salarial suficiente para garantir a satisfação das necessidades primárias, como alimentação e propinas que mensalmente se está sujeita, está preocupado em fazer poupança.
No entanto a reportagem apurou que dinheiro poupado prevê a realização um sonho de consumo, como fazer uma viagem ou tem como objectivo se proteger de imprevistos, como doenças e outros.