Empresas

Privatização garante maior produtividade

O processo de privatização de empresas de referência é uma decisão necessária porque o país precisa caminhar sem ter no sector empresarial muita cresponsabilidade pública.

O processo de privatização de empresas de referência é uma decisão necessária porque o país precisa caminhar sem ter no sector empresarial muita cresponsabilidade pública.
A visão é do presidente da Associação dos Empreendedores de Angola (AEA), Jorge Baptista, acrescentando que o Estado não pode continuar a investir em negócios que podem ser delegados ao sector privado.
Sublinha que é importante haver transparência neste processo e que os contemplados sejam de facto empresários com vocação para os negócios e não para interesses inconfessáveis ou de núcleos políticos.

Processo gradual
Jorge Baptista é de opinião que todas as empresas devem ser privatizadas sem excepção, “obviamente que o processo deve ser gradual e com eficácia para
a economia
Defende ainda que o Estado deve retirar-se da vida empresarial, cabendo-lhe apenas a função de injectar capitais como investidor ou accionista e nunca
de empresário.
Jorge Baptista considera ser prematuro auferir o sucesso destas privatizações dado a complexidade do mercado
empresarial nacional.
Acrescentou que esta mudança que pressupõe muito trabalho, inovação e capacitação, sobretudo em função do actual cenário económico de crise em que o país se encontra.
“O ambiente de negócios pode melhorar se começarmos a ter visão sobre a importância da actividade económica e negócios para o desenvolvimento”, realça.
Afirma que não se pode continuar com velhos hábitos de que é preciso ter pessoas endinheiradas, o país precisa é de empresas fortes e competitivas.
O mercado precica voltar a dar confiança aos investimentos e fazer surgir negócios geradores de empregos e marcas fortes.
“Mas isso deve ser corrigido capacitação dos dos quadros, mudança colectiva de mentalidade de quem governa e de quem é governado”, asseverou
o empresário.

Capacidade empresarial
O Executivo pretende inciar o processo processo de privatização, via bolsa de valores de empresas públicas de referência, a fim de promover o fomento empresarial e o reforço da
capacidade empresarial.
A meta é assegurar a maximização da arrecadação de receitas resultantes do processo
de privatização.
O processo vai assegurar a realização dos objectivos e garantir a integridade dos sectores estratégicos do Estado.