Empresas

Matéria-prima nacional é valorizada

O Conselho Consultivo do Ministério da Indústria realizado na província do Cuanza Sul, em Maio de 2018, e que decorreu sob lema “Aproveitamento e valorização das matérias-primas nacionais para o adensamento das cadeias produtivas”, recomendou a necessidade de aproveitamento e valorização das matérias-primas nacionais.

O Conselho Consultivo do Ministério da Indústria realizado na província do Cuanza Sul, em Maio de 2018, e que decorreu sob lema “Aproveitamento e valorização das matérias-primas nacionais para o adensamento das cadeias produtivas”, recomendou a necessidade de aproveitamento e valorização das matérias-primas nacionais.
Esta medida vai adensar as cadeias produtivas, fomentar a industrialização da economia, com vista a diminuir as exportações e promover o investimento.
Com estes propósitos, o Governo prevê que o sector da indústria transformadora possa cada vez mais contribuir para a produção de produtos desde a fase inicial até ao consumo.
Estes projectos estão enquadrados, igualmente, na necessidade de acelerar o processo de diversificação da economia e industrialização do país, assim como actualizar o Plano de Desenvolvimento Industrial 2018-2022, de modo a servir de guia, com soluções exequíveis em termos de industrialização nacional.
A proposta de Política Nacional da Qualidade elaborada em alinha com o Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022 concretamente nos eixos para o crescimento sustentável e inclusivo, pelo que a sua aprovação e implementação vai contribuir para a melhoria do ambiente de negócios, competitividade da produtividade.
O documento da política nacional contém orientações para a protecção da saúde e da segurança do consumidor, a criação de um ambiente propício ao desenvolvimento económico nacional, a contribuição para o aumento da produção e das exportações, a promoção da consciência nacional para a qualidade e o desenvolvimento do potencial humano.
Relativamente ao programa de fomento da indústria transformadora destaca-se programa o programa para a melhoria da competitividade do sector da panificação e pastelaria, envolvendo, nomeadamente, o Instituto de Desenvolvimento Industrial de Angola (IDIA), Instituto Nacional de Inovação e Tecnologias Industriais (INITI) e o Instituto Angolano da Normalização da Qualidade (IANORQ).
Estas instituições vão desenvolver um programa que tem como princípio base o de procurar melhorar a qualidade dos produtos de panificação, potenciando a normalização do processo produtivo e do produto final, utilizando técnicas de melhoria contínua.

Visão
No seu discurso de fim-de-ano, a ministra da Indústria, Bernarda Martins, destacou o projecto que visa a instalação de novos Pólos de Desenvolvimento Industrial, com envolvimento da iniciativa privada.
Citou que no quadro do PDN 2018-2022, pelo menos um PDI será instalado por província até 2022, bem como a implantação do Programa de Fomento da Indústria Rural que tem como objectivos a promoção da indústria rural a nível nacional, o fomento de empresas rurais nas comunas e municípios, a criação de valor e o escoamento após transformação das matérias-primas agrícolas cultivadas pelas famílias. AV