Empresas

IDF caça empresas incumpridoras no cunene

As empresas de exploração de madeira na província do Cunene que não cumprem as regras sobre reflorestação terão a sua licença caçada, advertiu esta semana, em Ondjiva, o director local do Instituto Desenvolvimento Florestal (IDF), Abel Zamba.

As empresas de exploração de madeira na província do Cunene que não cumprem as regras sobre reflorestação terão a sua licença caçada, advertiu esta semana, em Ondjiva, o director local do Instituto Desenvolvimento Florestal (IDF), Abel Zamba.
Ao falar à Angop, sobre actividade do sector, o responsável frisou que actualmente a província do Cunene conta com 25 empresas exploradoras de madeiras e cada uma explora entre 200 a 500 metros cúbico de madeira.
Abel Zamba disse que as empresas devem apenas realizar corte de árvores grandes e nunca abater pequenas árvores.
Ao longo do ano em curso, as 25 empresas licenciadas para exploração de madeira no Cunene pagaram, em termos de impostos, 18 milhões e 429 mil e 790 kwanzas.
A informação foi prestada pelo responsável do IDF na província do Huambo, Antunes Justino, em declarações esta semana a Angop, referindo que destas multas resultaram o pagamento de um milhão e 749 mil kwanzas, correspondendo a um aumento de 205 mil kwanzas.
Informou que apesar da falta de fiscais nos perímetros florestais, o que tem favorecido a acção dos exploradores ilegais de recursos florestais, o instituto tem actuado os infractores graças a denúncias feitas por autoridades tradicionais e populares.