Empresas

Fiscalização redobra vigilância

As transacções comerciais ilícitas estão a registar uma acentuada redução na fronteira entre Angola e Namíbia em virtude do aumento da vigilância e fiscalização por parte dos órgãos competentes no Cunene.

Por isso, o segundo comandante da Polícia Nacional no Cunene, subcomissário José Alberto, pediu, em Ondjiva aos efectivos da Unidade da Polícia Fiscal, que redobrem o trabalho nas acções de fiscalização, visando combater o contrabando de mercadorias.
O oficial, que discursava no acto de abertura das jornadas comemorativas do 21º aniversário do órgão, a celebrar-se a 12 do corrente, exortou que se aumente a vigilância e fiscalização ao longo da fronteira, para desencorajar a exportação ilícita de capitais, tráfico de drogas e de mercadorias.
Explicou que a província partilha uma vasta fronteira com a Namíbia, que carece de uma vigilância forte, daí que os efectivos em coordenação com os de outros órgãos, devem pautar por uma postura profissional, rigorosa e na própria assiduidade.
“Na nossa fronteira circulam cidadãos nacionais, assim como estrangeiros e para melhor protegê-la, em primeiro lugar devemos aplicar as orientações emanadas superiormente com rigor e disciplina, para a redução destas práticas ilícitas”, afirmou.
José Alberto sublinhando que a Polícia Fiscal é um órgão especializada do CGPN.