Empresas

Empreendedores juvenis devem apostar na inovação

O sector empresarial juvenil no país tem dado passos significativos para a sua afirmação no contexto económico, principalmente com a apresentação e execução de projectos viáveis que, certamente, irão contribuir para o desenvolvimento da classe e na concretização dos objectivos traçados pelo Executivo.

O sector empresarial juvenil no país tem dado passos significativos para a sua afirmação no contexto económico, principalmente com a apresentação e execução de projectos viáveis que, certamente, irão contribuir para o desenvolvimento da classe e na concretização dos objectivos
traçados pelo Executivo.
Segundo o presidente da comissão instaladora do Conselho Empresarial Juvenil de Luanda (CEJl), Júlio Matias, actualmente tem-se assistido no mercado várias demonstrações de apoio ao empresariado jovem, mas é importante que os membros estejam mais atentos às mudanças e fiquem cada vez mais próximos do Executivo.
Para o responsável, as estratégias gizadas pelo Executivo, só serão materializadas mediante a vontade expressa pelos jovens empresários, “mas para isso, é necessário que os associados se empenhem cada vez mais, de modo a alinhar-se às novas políticas de desenvolvimento económico”,
sustenta Júlio Matias.
Por isso, o responsável assegura que, para se obter resultados concretos e reais, é necessário que haja um casamento “sólido” entre o Estado e o empresariado, e que assente nas boas relações, tendo em conta os papéis importantíssimos que ambos desempenham na manutenção e no bom funcionamento da gestão e responsabilidade social do país.
Júlio Matias salientou que o sector empresarial juvenil em Luanda, ainda tem muito para melhorar, pois, “está longe das expectativas do que se esperava, devido ao alto grau de informalidade do mercado e da fraca organização do próprio empresariado”.
No que toca às áreas de investimento, Júlio Matias disse que, a indústria transformadora de pequena escala é uma das metas que se deve atacar, visto que, tem-se a noção das dificuldades a nível da distribuição de energia e água que os empresários enfrentam, mas também é consciente que existem sectores que devem merecer a atenção dos jovens, como o da agricultura, que é a base para o lançamento da produção nacional.
“Razão pela qual, apoiamos as iniciativas do Executivo angolano nos projectos que visam mitigar a carência da distribuição da água e energia”, disse para acrescentar que o apoio e desenvolvimento da indústria transformadora (energia e estradas) é bastante fundamental, por serem as bases principais que sustentam este segmento de negócio, e os jovens esperam acções concretas que se devem materializar a curto prazo, para ver se de facto, o processo da diversificação da economia nacional está a ser concretizado.
Por outro lado, Júlio Matias disse que, deve-se olhar para todos os segmentos ou sectores que podem alavancar a economia nacional, uma vez que o país, faz-se do conjunto de um todo.