Empresas

Angola Cables quer mais parcerias

A Angola Cables pretende vender os seus serviços a empresas americanas sediadas no país, segundo o presidente do Conselho Executivo da companhia, António Nunes, que falava no fórum “First Friday Club”, promovido pela Câmara de Comércio EUA - Angola .

A Angola Cables pretende vender os seus serviços a empresas americanas sediadas no país, segundo o presidente do Conselho Executivo da companhia, António Nunes, que falava no fórum “First Friday Club”, promovido pela Câmara de Comércio EUA - Angola .
António Nunes sustentou que o uso da internet tem vindo a crescer de forma exponencial e que isto torna as actividades económicas mais eficientes e com menos custos. Neste aspecto, referiu, a indústria cibernética está relativamente melhor do que as outras no mercado, daí a necessidade de captar mais clientes como é o caso das empresas americanas que actuam em Angola.
Para estas empresas, há a oferta de múltiplos serviços com as ligações dos cabos de fibra óptica da Angola Cables, que são o sistema Monet (EUA – Brasil) e o SACS (Angola – Brasil) já estão totalmente instalados, mas actualmente só o Monet está em funcionamento estando prevista a entrada do SACS para o mês de Setembro deste ano.
De acordo com António Nunes, a instituição fornece 85 por cento dos serviços de internet fixa a operadores de Angola e está em alguns países do Continente Africano, particularmente na região da SADC, num volume de negócios que ronda os 40 milhões de dólares norte-americanos.
Por seu turno, a presidente da Câmara de Comércio EUA – Angola, Maria da Cruz, fez saber que o encontro serviu para os membros da câmara e o sector privado norte-americano terem contacto com os serviços da Angola Cables, e uma ideia de como podem investir neste sector com novas empresas ou firmando parcerias.
Segundo a responsável, o exemplo da Angola Cables demonstra que há um bom ambiente de negócios no sector das telecomunicações tanto internamente quanto a nível do continente.