Capa

Portas abertas para cooperar

Os acordos de supressão de vistos nos passaportes normais, acordos diplomáticos, segurança e ordem pública, gricultura e sobre questões aduaneiras marcaram o encontro oficial das partes, testemunhado pelos Presidentes dos dois países

O comboio angolano dos caminhos-de-ferro de Benguela (CFB) liga-nos à Zâmbia e ao Congo Democrático, num percurso que traz manganês e outros minérios de Kassinga e Limpopo. No vagão que desliza pelos carris, à chegada ao Porto do Lobito para dar início ao percurso internacional da ligação ferroviária, assume posição estratégica no comércio regional.
Mas como Angola e Zâmbia querem mais, o sinal mais evidente da vontade de cooperação entre os países foi dada esta semana com uma visita de Estado do Presidente da República, João Lourenço, que à Lusaka levou empresários e 10 responsáveis de departamentos ministeriais, além de quadros dos seus gabinetes de apoio.

Viajar sem vistos é realidade
Os acordos de supressão de vistos nos passaportes ordinários (normais), acordos diplomáticos, segurança e ordem pública, agricultura e sobre questões aduaneiras marcaram o encontro oficial das partes, testemunhado pelos presidentes.
Com a supressão de vistos pretende-se que a livre circulação de pessoas e bens proporcione uma maior troca entre os dois povos e aumente o volume de negócios, actualmente fixado em cinco milhões de dólares anuais, cifra irrisória para as potencialidades de ambos os países.
Por sua vez, o instrumento jurídico relativo às questões aduaneiras prevê a troca de informação e uniformização de procedimentos e assistência técnica, uma vez que os dois países partilham uma fronteira de mais de mil quilómetros e urge regular o movimento de pessoas e mercadorias de um e outro lado.
Outrossim, segundo noticiou a Angop, estabeleceu-se um conjunto de horários de funcionamento dos dois postos aduaneiros localizados no Rivungo e Katwitwi (na província angolana do Cuando Cubango), assim como privilegia a legislação de mercadoria proibida à luz do referido acordo.
No domínio agrícola, o acordo permitirá a troca de experiências entre os dois países. Actualmente, Angola exporta para a Zâmbia peixe, enquanto este país o faz em relação ao milho.

Empresários na Zâmbia
A Comunidade de Empresas Exportadoras e Internacionalizadas de Angola (CEEIA ) participou num dos mais importantes eventos políticos e empresariais africanos. Agostinho Kapaia, é um dos empresários que marcam presença em representação da camada empresarial nacional, integrados na comitiva do Presidente da República de Angola.
O fórum empresarial foi marcado pela presença dos chefes de estado de Angola e da Zâmbia, na qual o estadista angolano discursou para a plateia constituída por homens de negócios dos dois países.
Nesta visita de Estado, os dois governos assinaram acordos para assegurar a cooperação e assistência mútua administrativa em matéria aduaneira, de segurança e ordem pública e um protocolo de cooperação no domínio da Agricultura.
No encontro dos empresários foram abordados assuntos concretos e pertinentes entre os dois países, como “A parceria e joint-ventures no sector do agrobusiness” e “O desafio entre Angola e Zâmbia nas oportunidades de comércio e investimento”.

Windhoek
Tal como previu o programa de visita, ontem, o Presidente da República de Angola, João Lourenço, deslocou-se à Namíbia onde também efectuou uma visita de Estado e rubricou acordos de cooperação com o parceiro.
João Lourenço que tem marcado a sua liderança por uma presidência aberta e de proximidade interna e externamente procura na primeira pessoa solidificar as relações de Angola com parceiros externos e relançar o posicionamento geoestratégico no continente, sobretudo valorizando o alcance de parcerias mutuamente vantajosas.

Cabo Verde mais próximo
Ainda esta semana, Angola e Cabo Verde manifestaram, em Luanda, a vontade de institucionalizar o diálogo entre as agências de investimentos e exportações, no quadro da cooperação económica empresarial existente.
A intenção visa incentivar uma maior dinâmica de parcerias de negócios, envolvendo as empresas dos dois países na perspectiva da integração das respectivas economias no mercado regional e global, informou o ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto, no final da cerimónia de assinatura do acordo de cooperação no domínio da Administração Autárquica, entre Angola e Cabo Verde.
Neste sentido, as partes concordaram na vinda a Angola do Vice-primeiro-ministro de Cabo Verde, Olavo Correia, que chefiará uma equipa técnica e empresarial, em data a acordar por via diplomática.
Angola e Cabo Verde decidiram continuar a trabalhar no sentido de se encontrar um entendimento reciprocamente vantajoso, no plano comercial, que permite a reabertura das linhas regulares aéreas e marítimas, com um acordo entre as companhias áereas dos países.