Artigo

Capa

Manuel Nunes Júnior coordena equipa económica

O economista Manuel Nunes Júnior foi nomeado ontem, em depacho presidencial, ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social.

O economista Manuel Nunes Júnior foi nomeado ontem, em depacho presidencial, ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social.

O também docente universitário, que regressa ao Governo com as mesmas funções, apesar da mudança da designação do cargo, passa assim a coordenar a equipa económica do Governo.
Além de Manuel Nunes Junior, foram nomeados Augusto Archer de Sousa Mangueira, para ministro das Finanças e Pedro Luís da Fonseca, para o cargo de ministro da Economia e Planeamento. Neste último departamento ministerial, na anterior composição, o mesmo estava seperado.
A ideia foi reduzir o número de ministérios para conferir maior dinâmica, conforme já havia se referido o Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, no discurso da sua investura como Chefe de Estado angolano.
Para completar o quadro da Equipa Económica do Governo, falta a indicação do governador do Banco Nacional de Angola (BNA). O actual governador Valter Filipe da Silva pode ser ou não reconduzido.
Nesta nova composição governamental tornada pública ontem consta 27 ministérios, sem incluir os três departamentos ministeriais de Estado, nomeadamente do Desenvolvimento Económico e Social, da Chefia da Casa de Segurança do Presidente da República e Chefia da Casa Civil do Presidente da República.
Em relação a outros departamentos, houve alterações no ministério da Administração do Território, que passa agora a designar-se Ministério do Território e Reforma do Estado.
Outra mudança foi notada ao ter-se criado um novo departamento designado Acção Social, Família e Promoção da Mulher e do Ordenamento do Território e Habitação, além dos Recursos Minerais e Petróleos.
A equipa económica do Governo constituída pelo ministro das Finanças, Economia, Planeamento e governador do Banco Nacional de Angola (BNA), tem uma tarefa bastante árdua, nesse novo mandato governamental de 2017-2022. Angola está a viver uma fase bastante conturbada da sua economia, devido à baixa significativa do preço do petróleo no mercado internacional.

Questões económicas
Constam como os grandes desafios da equipa económica do Governo a garantia da sustentabilidade do sistema financeiro e a monitoria da liquidez do sistema bancário, dando especial atenção aos bancos comerciais com dificuldades de liquidez, que necessitam de ser reestruturados, e que recorrem de forma persistente ao redesconto.
Há uma lista enorme de tarefas que serão implementadas pelos órgãos que compõem a estrutura económica do Governo, das quais, a garantia do reforço da supervisão do sistema bancário, tendo em consideração, em particular, a grande assimetria interna do sistema e o cumprimento de regras e procedimentos definidos internacionalmente.
Além disso, espera-se pela orientação da política de crédito e micro-crédito de acordo com as prioridades de desenvolvimento e implementação do Fundo de Garantia de Depósito e consolidar o Fundo de Garantia de Crédito.

Perfil do Governante
O novo ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel José Nunes Júnior, na última legislatura, ocupava as funções de presidente da 5ª Comissão de Economia e Finanças da Assembleia Nacional.
É doutorado em Economia
em Inglaterra.
Dentre os cargos que desempenhou, destaca-se a de presidente do Conselho de Administração da ENANA- Empresa Nacional de Exploração de Aeroportos e Navegação Aérea (de 1999 a 2002) e de vice-ministro das Finanças (2002 a 2003).
Já foi ministro da Economia (2008 a 2010) e ministro de Estado e da Coordenação Económica (2010).
Além disso, ocupou outras funções como director da Faculdade de Economia da Universidade Agostinho Neto (UAN), cargo exercido entre 1986 a 1991. Nesta dependência da universidade pública, Manuel Nunes Júnior é professor titular.    
A nível partidário e associativismo, o ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social ocupou funções de Secretário do Bureau Político do MPLA para a Política Económica e Social, membro da Comissão Directiva da JMPLA no Lobito e Membro Fundador e primeiro presidente da Associação dos Estudantes do Ensino Superior (AEES).

Reconduzido
O ministro das Finanças, Augusto Archer Mangueira, que já ocupa as funções há mais de ano, foi reconduzido ao cargo, para continuar a fazer reformas no sector financeiro nacional. Está a imprimir dinâmica na Administração Geral Tributária e pretende consolidar o funcionamento da Bolsa de Dívidas e Valores de Angola (BODIVA), Sociedade Gestora de Mercados Regulamentados, dentre outros desafios.
O ministro das Finanças é doutorando em Economia pela Universidade Complutense de Madrid e no seu currículo profissional e político destacam-se funções de Assessor para os Assuntos Económicos do Presidente da República, vice-ministro do Comércio e presidente da Comissão do Mercado de Capitais (CMC).

Nomeado
O novo ministro da Economia e Planeamento, Pedro Luís da Fonseca, antes da sua nomeação, foi secretário de Estado para o Planeamento e Desenvolvimento Territorial.
O ministro já exerceu o cargo de director Nacional de Estudos e Planeamento do Ministério do Planeamento (1998), director Nacional de Programação Económica do Ministério do Planeamento (1996/1997), assim como director Nacional do Comércio do Ministério do Comércio (1990/1994) e director Nacional de Relações Económicas Internacionais do Ministério do Comércio Externo
(1988/1990). Foi ainda assistente da Cadeira Economia Internacional da Faculdade de Direito da Universidade Católica de Angola Anos lectivos 2003/04 e 2004/05.