Capa

Famílias são assistidas com adubos

Cerca de 151.234 famílias vão receber assistência técnica pelo Gabinete provincial da Huíla da Agricultura, Pecuária e Pescas, durante o ano agrícola 2018/2019.

Cerca de 151.234 famílias vão receber assistência técnica pelo Gabinete provincial da Huíla da Agricultura, Pecuária e Pescas, durante o ano agrícola 2018/2019.
Segundo um documento, a província possui um universo de 336.077 famílias, cuja assistência corresponderia a um pacote tecnológico por família, constituído por 500 quilogramas (kg) de fertilizante NPK, 250 de sulfato de amónio, 25 de semente de milho e 60 de semente de feijão.
O projecto de assistência inclui 168.039 charruas de tracção animal, 168.039 toneladas de fertilizantes composto “NPK”, 84.019 de sulfato de amónio, 8.402 de semente de milho, 20.165 de feijão, 672.154 enxadas “europeias” e 50 mil toneladas de calcário.

Preparação de terras
Relativamente a preparação mecanizada de terras, e em função do elevado potencial agrícola que a província da Huíla possui, a fonte acrescenta que, seria desejável que cerca de 36 mil hectares que correspondem a cerca de 10 por cento do número total de famílias, fossem trabalhados com recurso à mecanização agrícola, o que pressupõe o incremento do número de brigadas privadas de mecanização agrícola na província.
No âmbito da correcção de solos por calagem, foram seleccionados seis municípios, nomeadamente Caluquembe, Caconda, Cacula, Lubango,
Quipungo e Matala.
Quanto ao sector empresarial privado, destaca a nossa fonte, a disponibilidade do crédito se revela fundamental para alavancar projectos nos domínios da suinicultura, bovinicultura, avicultura e pequenos ruminantes, bem como no processamento e transformação da produção, dentre outras áreas que se revelam bastante promissoras para a economia.

Produção de sementes
No ano de 2016, a empresa “Jardins da Yoba” foi seleccionada para o Programa Nacional de Sementes, tendo assinado um contrato de fornecimento de sementes de batata, milho, massango e massambala com o Serviço Nacional de Sementes (SENSE), órgão afecto ao Ministério da Agricultura e Florestas, por um período de 10 anos.
A produção de milho híbrido certificado em Angola pela empresa sob monitorização/licenciamento do Sense e assistência do Instituto de Investigação Agronómica de Angola (IAA), permitirá a substituição directa de importações, constituindo uma importante reserva genética, científica e tecnológica.

Mais infra-estruturas
Prevê-se a construção de infra-estruturas, entre parques de quarentena, centros de confinamento, feiras e matadouro, pontos de abeberamento, tanques banheiros, mangas de vacinação e estruturas administrativas, para atendimento ao sector familiar.
Está em curso a reparação de algumas estruturas mais simples, com recursos locais para assistência aos animais.
Na campanha agrícola 2017-2018, a nível de mecanização da agricultura, a província foi reforçada com uma brigada composta por oito tractores.
Ainda assim, a província necessita de reabilitar as principais barragens e represas existentes ao nível de regadios e dos armazéns para o aprovisionamento dos imputes agrícolas à implantação de mais câmaras de frio, para a conservação de produtos perecíveis assim como unidades de silo.
A província com 14 municípios está na confluência da transição de zonas planálticas com clima tropical, clima semi desértico e um microclima temperado no planalto da Humpata, o que proporciona a produção de produtos agrícolas e pecuários diversificados. Tem a vantagem de ser banhado por uma rede hidrográfica com rios e riachos que cruzam 12 municípios, conferindo-os irrigação.
Conta com uma rede viária internacional, que lhe liga ao país vizinho, a Namíbia, uma rede ferroviária que lhe permite a transportação dos produtos do campo.

Produção de carne
pode atingir 302.320 toneladas

A província da Huíla prevê que a produção animal durante a presente época possa aumentar, para satisfazer às necessidades alimentares em produtos de origem animal.
A meta é atingir 302.320 toneladas de carne, sendo 1.429 toneladas de bovino, suíno (266,7), pequenos ruminantes (81,8) frango (1.410) e 3,2 milhões de ovos.
Com relação à campanha de vacinação a previsão é de vacinar 900 mil cabeças de bovino, contra as quatro principais doenças, nomeadamente a peripneumonia contagiosa bovina, dermatite nodular contagiosa, carbúnculo sintomático, CH, e 50 mil animais de estimação contra a raiva.
A desparasitação externa do gado é também uma das actividades para o controlo de doenças, e para o efeito, diz a fonte, estão a ser reactivados os tanques banheiros.
Até 2016, Angola consumia 150 mil toneladas de carne por ano, numa altura em que produzia cerca de 10 mil toneladas.
Naquele ano, a Cooperativa dos Criadores de Gado do Sul de Angola apontava para a existência de cerca de 3,5 milhões de cabeças de gado em Angola, deste número 91 por cento está na região Sul de Angola, oito no Centro e um por cento no Norte. AV

CUNENE

Comunidades piscatórias capturam 69.707 toneladas de várias espécies

As actividades de pesca artesanal e continental destacam-se nas comunidades instaladas ao longo da bacia do rio Cunene, na província com o mesmo nome.
Dados avançados pelo Gabinete da Agricultura, Pecuária e Pescas da província do Cunene, a que o JE teve acesso, até ao mês de Agosto, cerca de 69.707 toneladas de pescado foram capturadas, nos municípios de Ombadja, Cuvelai e Cuanhama.
Estes indicadores levaram o sector a considerar como positivo os níveis de captura, já que segundo a fonte são suficientes para o consumo das famílias, bem como para a comercialização.
Das espécies capturadas destacam-se as comunidades piscatórias que estão instaladas ao longo do rio Cunene, principal fonte, tendo como principais espécies a kimaia com 12.274 quilogramas, kimiamia (7.231), bagre (24.568), bukundu (5.134), boca larga (3.275), bacalhau (1.782), nhasse (2.107), tchimbululu (10.531), tshigono (1.775), peixe cão
(580) e sardinha (450).

Pesca de subsistência
A pesca é praticada tanto por homens como por mulheres, embora principalmente por homens. A fonte assegura que a pesca é uma actividade particularmente lucrativa para as pessoas que vivem nas proximidades do rio Cunene e em menor grau para aqueles que habitam nas terras ribeirinhas e seus afluentes, nomeadamente os rios Cakuluvale e Calonga.
A nível da província, o Gabinete da Agricultura, Pecuária e Pescas do Cunene controla 49 cooperativas de pescadores e 45 grupos de interesse económico. Por exemplo, o município de Ombadja conta com 36 cooperativas de pescadores,
Cuvelai (7) e Cuanhama (6).
No período em análise foram desenvolvidas acções de fiscalização sobre o uso de redes impróprias, pesca ilegal, avaliação da organização das cooperativas e grupos de interesse económico.

Huambo
1.468 pescadores artesanais desenvolvem a arte

Trinta e sete toneladas de peixe diverso foram capturadas de Janeiro a Junho deste ano, na província do Huambo, contra as 43 de igual período em 2017, informou na segunda-feira, à Angop, o chefe do departamento de Pesca e Aquicultura, Alberto Sousa da Silva.
Segundo o responsável, os baixos níveis de captura nos rios desta província resultam da falta de equipamentos, referindo-se as dificuldades que os pescadores enfrentam para adquirirem redes, anzóis e canoas.
Apontou os rios Cunene, Keve, Kunhongãmua e Cutato como os de maior actividade piscatória na região, estando inscrito 1.468 pescadores artesanais que encontram na actividade uma oportunidade de sustento familiar.

Aquicultura
Sobre a aquicultura, Alberto Sousa da Silva confirmou estarem controlados, na província do Huambo, 18 criadores, cuja produção tem sido comercializada aos restaurantes locais.
Anunciou estar em curso, neste momento, a escavação de 50 tanques de criação de peixes, na comuna da Luvemba, no município do Bailundo, localidade que pretende tornar-se no maior centro piscícola da província do Huambo.
O Huambo tem uma área de 35.771 quilómetros quadrados, com sua população estimada em 2.301.524 habitantes. A província tem 11 municípios.