Capa

Empresas só recebem dinheiro no fim da obra

A fuga dos empreiteiros com valores alocados pelo Estado sem concluir as obras vai terminar.
A garantia é do ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, durante uma visita realizada na passada segunda-feira, às obras em curso a nível de vários eixos da província de Luanda.

A fuga dos empreiteiros com valores alocados pelo Estado sem concluir as obras vai terminar.
A garantia é do ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, durante uma visita realizada na passada segunda-feira, às obras em curso a nível de vários eixos da província de Luanda.
O construtor para receber qualquer valor da obra terá que, apresentar um boletim de serviço que traduz o trabalho executado, onde se faça constar o aval de todas às repartições envolvidas no sistema de pagamento, avançou a fonte..
O Governo angolano, pretende eliminar métodos que impossibitem o pagamento de obras, rigorosamente inexistentes e em alguns casos inacabados.
“Daqui para frente vamos pagar em função dos boletins de serviço, que traduzem os serviços executados, não vamos pagar nada adiantado”, anunciou.
O ministro indicou que este será o caminho a seguir, para ter o controlo dos infractores no ramo da construção.

Visita de campo
O ministro visitou a nova marginal a sudoeste de Luanda, cuja as obras estão a ser executada pelo grupo China Railway 20 Bureau Group Co (CR20).
As obras da marginal de Luanda, entre a praia do Bispo e a Corimba terão um custo estimado de 142,3 milhões de dólares, cujas obras já estão na segunda fase. A iniciativa inclui a construção de duas faixas de rodagem em cada sentido e uma área para a criação de corredores exclusivos, para os transportes públicos, inserida no Plano Director Metropolitano de Luanda.

Nó de ligação da Samba
A visita de campo passou também pelo futuro nó de ligação da Samba com a Avenida Pedro de Castro Van-Dúnem Loy, que deve iniciar brevemente, numa latura em que a fase de estudos já está concluída.
A obra consistirá na construção de um viaduto que permitirá a passagem directa de veículos que circulam entre o Benfica/Golf II.
O projecto incluirá uma rotunda para facilitar a mobilidade rodoviária na estrada da Samba e a
Avenida 21 de Janeiro.

Viaduto do Camama
Durante a visita de campo, o ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, anunciou para este mês, a inauguração do viaduto do cemitério do Camama, que irá ligar Talatona/Viana/Golfe II/Via Expressa, sem a intercessão de vias.
As obras que começaram no início deste ano, abrangem também o alargamento e melhoramento do tapete asfáltico, iluminação pública (nos principais eixos), sinalização vertical e horizontal além de valas para a drenagem das águas.