Capa

Cidadãos confiantes com o futuro

Quatro dias depois da tomada de posse do novo Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, pelo sinal o terceiro presidente na história da república, os angolanos acreditam num futuro melhor.

Quatro dias depois da tomada de posse do novo Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, pelo sinal o terceiro presidente na história da república, os angolanos acreditam num futuro melhor.
Durante a ronda realizada pelo JE, o docente Universitário Adilson Fontora, disse aguardar com muita ansiedade na estabilização da taxa de câmbio anunciado durante o discurso de investidura de modo a recuperar o poder de compra dos angolanos.
Por outro, o entrevistado entende que a intenção de reforçar as relações com países como China, Japão e Índia pode vir a contribuir em grande medida na dinamização da economia nacional e impulsionar o desenvolvimento.
No seu entender para que tudo isso se efective será importante melhorar as vias de comunicação, importantes factores para o crescimento económico.
Para a cidadã Domingas Manuel a anunciada aposta no “empoderamento” da mulher, constitui o principal indicador para redimensionar a economia angolana. Segundo avançou, a mulher constitui um factor de dinamização económica dada a sua presença nos diferentes sectores da economia. Segundo a entrevistada, elas não poupam esforços para trabalhar tanto no sector formal como no informal. Pelo que, “o investimento na mulher vai contribuir em grande medida na mudança do paradigma económico do país”.
Segundo apontou, daqui para frente a aposta deve ser sobretudo no sector formal de modo a impulsionar as fontes de receitas para o Estado.
Já o jurista Ernesto Ferreira considerou a aposta do presidente no já anunciado combate à corrupção, pois este mal desestabiliza os alicerces do crescimento económico.
Além deste indicador, Ernesto Ferreira olha para a intenção de apostar-se no sector do turismo como medida para gerar mais postos de trabalho e atrair divisas bem como investidores que podem vir dinamizar a industria do turismo.
Por sua vez a funcionária pública Isabel de Fátima considerou o discurso actual dada a especial atenção que se quer dedicar no escoamento dos produtos do campo para os grandes centros urbanos. De acordo com a entrevistada, o escoamento constitui um factor determinante no incentivo ao consumo da produção nacional.
Uma vez criada a rede de ecoamento de produtos de campo forte os agricultores doravante vão aumentar a produção, que se vai traduzir no aumento da sua renda que vai culminar com aumento de postos de trabalho e geração do comércio interno.