Capa

Benefícios e desafios das acções presentes

A construção e recuperação de infra-estruturas em todas as províncias de Angola
continuam a apresentar-se como a marca das inúmeras conquistas atingidas em 15 anos
e que resultam da ampla estratégia de desenvolvimento adoptada pelo Executivo.

Com o alcance da paz efectiva, os sinais de desenvolvimento económico e social estão cada vez mais patentes em todo o território nacional, fruto da implementação por parte do Governo angolano, de vários projectos estruturantes.
Os avanços significativos no domínio do Urbanismo e Habitação, Energia e Águas, Construção e Indústria estão em linha com a estratégia de longo prazo.
Por exemplo, a província do Huambo ganhou a centralidade do Lossambo, com 2.009 habitações, cujo acto de inauguração aconteceu no dia 3 de Abril.
O ministro da Defesa Nacional, João Manuel Lourenço, que presidiu na cidade da Caála, ao acto central dos festejos dos 15 anos da paz, coube a honra de inaugurar o projecto habitacional do Governo, construído em três anos, resultado de um investimento de mais de 250 milhões de dólares. A iniciativa contempla infra-estruturas internas e externas, bem como equipamentos sociais.
A centralidade possui 1.482 apartamentos,184 moradias térreas e 343 moradias de dois pisos, todas com a tipologia T3, a centralidade prevê acomodar 14 mil pessoas. A iniciativa governamental ainda possui 90 lojas comerciais, três escolas, dois centros infantis, um jardim
de infância e um posto de saúde.
Além dos imóveis, estão construídos um conjunto de equipamentos sociais, já em funcionamento, entre eles dois centros infantis, um jardim de infância, duas escolas primárias e uma secundária, assim como um posto de saúde.
Em declarações à Angop, o director de Marketing da Kora Angola (empresa gestora da obra), Crispin Costa, fez saber que, actualmente, estão já ocupadas cerca de 1.200 residências, entre apartamentos, moradias térreas e moradias de dois pisos.
Falando à margem do acto inaugural, a ministra do Urbanismo e Habitação, Branca do Espírito Santo, disse quanto ao acesso às habitações, que 60,4 por cento estão na modalidade de renda resolúvel, 47,5 para o arrendamento e 15 por cento para venda livre.

Mais electricidade e água
Na capital do país, o ministro da Administração do Território, Bornito de Sousa, inaugurou a nova sede da Empresa Pública de Águas de Luanda (EPAL), orçada em sete milhões de dólares norte-americanos.
O edifício de seis andares, localizado no município de Talatona, foi construído e inspirado na figura geométrica de uma vasilha de água baseada em paradigmas da arquitectura moderna com a fachada envidraçada e linhas curtas.
Para o presidente do Conselho de Administração da Epal, Leonídio Ceitas, o empreendimento vai dar mais dignidade à empresa, tendo como desafio “ser a melhor empresa do continente na distribuição e melhoria do líquido”.
De acordo com Leonídio Ceitas, neste momento, a empresa de distribuição de água possui mais 800 mil clientes.
Na província do Bengo, a reabilitação da barragem hidroeléctrica das Mabubas constitui um dos benefícios da paz e da reconciliação nacional, considerou, a vice-governadora para o sector político e social, Maria Augusto Peixoto.
Em Malanje, um total de 13 sistemas de captação, tratamento e distribuição de água potável foram inaugurados em 12 aldeias do município de Cahombo, pelo governador provincial, Norberto dos Santos ‘’Kwata Kanawa’’, e que estão enquadrados no programa ‘’Água para Todos’’.
Na ocasião, o director provincial da Energia e Águas, Jacinto Caculo, fez saber que a construção dos sistemas de água está orçada em 200 milhões de kwanzas.
No Uíge, cerca de 9.400 agregados beneficiam de água potável na cidade e arredores, no quadro do novo projecto implementado na urbe, desde 2013, cuja primeira fase está concluída, informou o governador em exercício da província, Carlos Mendes Samba.
Ao intervir no acto provincial do Dia da Paz, que decorreu na cidade do Negage, o gestor disse que no âmbito dos esforços do Executivo angolano para a melhoria das condições de vida da população, encontram-se em execução trabalhos para a segunda fase do mesmo projecto e que vai contemplar 10 mil ligações.
Paralelamente ao mesmo projecto, referiu, 140 outros pequenos sistemas de abastecimento de água potável para a população da província foram
construídos em diversas aldeias.

Melhorar a mobilidade
Fruto da paz definitiva conquistada há 15 anos no país, a reabilitação da estrada nacional que liga Mbanza Congo, à capital do país, Luanda, numa extensão de aproximadamente 480 quilómetros, foi destacada, na capital da província do Zaire.
De acordo com o secretário do governo provincial, Félix Kialundila, que dissertava o tema relativo aos “ ganhos da paz”, a consolidação da paz e a segurança permitiram a livre circulação de pessoas e bens em toda a extensão da província e do país.
“Anteriormente, o percurso de Mbanza Congo ao município do Nzeto (230 Km) era feito em 24 horas, mas agora demora-se menos de três horas, fruto da reabilitação da estrada nacional nº210”, observou.

Alcançar a produção
O governo do Huambo está empenhado na criação de condições para redinamizar o sector agrícola empresarial, para que a província volte a ser celeiro do país.
O facto foi reafirmado pelo governador do Huambo, João Baptista Kussumua, quando discursava no acto nacional comemorativo do Dia da Paz, tendo destacado que o governo está empenhado na criação de condições, sobretudo na atribuição de créditos, para aumentar a produção e eliminar o défice alimentar, sendo que o excedente poderá ser exportado.
Por sua vez, o administrador municipal do Sumbe (Cuanza Sul), Manuel do Nascimento Rosa da Silva, afirmou, que a conquista da paz, em 2002, impulsionou o desenvolvimento da indústria.
Em declarações à Angop, referiu que, durante os 15 anos de paz, a província ganhou várias infra-estruturas, com destaque para fábricas de cimento, de gesso, de calcário, de lacticínios, entre outras, proporcionaram milhares de empregos para a juventude.