Capa

Administração factura 3 milhões no “Mercado do 30”

Contas feitas na redacção indicam que a praça do Km 30 em Viana, gera mais de três milhões de kwanzas/dia. Durante a ronda realizada pelo JE, constactou-se, que para aceder a um espaço e colocar uma bancada, os clientes pagam o equivalente a 100 kwanzas o metro quadrado.

Marta Silipuleni, disse que o valor a pagar varia de acordo a áreatotal ocupada pelo vendedor.Segundo explicou, além do valor do espaço adiciona-se 50 kwanzas para a limpeza e 150 para segurança. “A maioria vende em espaço de dois metros” disse.

Facturação
O JE, apurou, junto a uma fonte da administração que o mercado conta com aproximadamente sete mil e quinhentos vendedores, sem incluir os armazéns, barracas, oficinas, casas de jogo, zungueiros, matadouros e outros. E se cada vendedor paga 200 kwanzas dia, podemos acreditar que o mercado factura até 1.200.000 kwanzas dia só nas bancadas. A este valor adiciona-se a taxa de lixo que ronda os 300.000, mais 900.000 kwanzas resultantes da taxa de segurança, teremos uma renda que se aproxima a 2.400 mil kwanzas.
O local constitui uma verdadeira fonte de receitas para o Estado assim como as famílias que diariamente comercializam produtos e serviços.

Fiscais
Na praça do km 30 as cobranças começam as 10 e se estendem até 15 horas, disse Marta da Almeida que comercializa batata rena há 10 anos naquele espaço. Com um bloco de facturas de cor branca onde está estampado o carimbo da administração do mercado, homens e mulheres devidamente identificados, cobram o imposto pela utilização do espaço para comercialização de produtos e serviços na praça do km 30.
Interpelada pela equipa do JE, o cobrador de imposto que não aceitou ser identificado mostrou-se assustado. “Não posso prestar qualquer informação sem autorização superior”, diz ao repórter enquanto procura se livrar do olhar deste.
Se ainda não vendeu o suficiente para pagar a ficha o fiscal regressa três quatro horas depois, disse Cesaltina Bernardo, que se ocupa da carne seca. Segundo contou, os fiscais do mercado são distribuídos por zonas. Desde produtos de campo, frescos, electrodomésticos, tendas. Aos comerciantes a renda é mensal. Já os quitandeiros a renda é diária.

Outros
A semelhança de bagageiros que seguem cada viatura que entra para o mercado, o cobrador de impostos de estacionamento também vai atrás de cada viatura que chega no mercado para taxar. Para quem usa uma viatura própria para chegar até ao mercado do km 30, não precisa pagar o estacionamento. Já os taxistas e motoqueiros pagam uma comparticipação de 100 kwanzas para deixar os clientes na paragem das botijas, um itinerário conhecido por todos, pois bem ao lado está o mais velho Adão Luís, mais conhecido por “Jovem Adão”, que se ocupa da produção de fogões, fornos e fogareiros de pequeno e grande porte “made in angola” para impulsionar o empreendedorismo.


Produtos
Os luandinos acorrem para o local sobretudo, para adquirir produtos do campo e carne abatida na hora. Os preços são atractivos. O balde da batata rena por exemplo custa 1.250 kwanzas. Da cebola ronda os 1.200, já o tomate vai até 1.500. O balde de bombó custa 800 kwanzas e 300 para moer incluindo a mão de obra do trabalhador.

Carne abatida
Quanto a carne abatida o JE sabe que o km 30 dispõe de dois “matadouros”. O primeiro é especializado em cabritos, porcos e ovelhas, assim como galinhas, patos. Já o segundo localizado na parte sul do mercado se ocupa do abate de bois.
No primeiro situado a escassos metros da paragem das botijas, os preços variam de acordo a robustez do animal. Galvino Catife gerente do estabelecimento, disse que o preço do cabrito e porco por exemplo, variam entre os 10 e 25 mil kwanzas. Já o carneiro parte de 15 até 30 mil kwanzas. A galinha doméstica e do mato, assim como o pato rondam entre 1.500 e 7.000 kwanzas.
O gerente explicou, que para abater o animal a mão de obra ronda os 2.500 kwanzas. Ao cliente cabe decidir de que forma quer levar
a carne e a respectiva ginguinga.
O produto provém sobretudo do interior da Huíla e Cunene. O estabelecimento criou 24 postos de trabalho directos e mais de 30 indirectos. As vendas reduziram muito nos últimos dias disse.